Publicidade
Amazônia
Amazônia

Operação 'Sacrifício Zero' apreende mais de duas toneladas de carne ilegal em Coari (AM)

A operação foi deflagrada no Mercado Municipal de Coari e apreendeu, entre outras, carnes de paca, anta, queixada (espécie de porco do mato) e pirarucu 08/09/2014 às 19:43
Show 1
Carne de pirarucu apreendida na feira de Coari
ACRITICA.COM* Manaus (AM)

Na manhã desta segunda-feira (8), mais de duas toneladas de carne ilegal de animais silvestres foram apreendidos no mercado municipal de Coari, cidade distante 363 quilômetros em linha reta de Manaus. A apreensão foi resultado da operação “Sacrifício Zero”, deflagrada pela Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Coari, em conjunto com a Polícia Militar e Secretaria Municipal do Meio Ambiente do município.

Por volta das 7h30, os policiais começaram a abordar comerciantes do mercado. “Ao notarem a presença dos policiais, as pessoas abandonaram suas barracas e saíram de perto dos produtos com a intenção de escapar da punição. O trabalho que fizemos hoje trouxe aos feirantes um impacto financeiro considerável. Isso serve para desestimular àqueles que afrontam a Lei Ambiental,” destacou o Titular da Delegacia do município, Delegado Rafael Costa e Silva.

Foram apreendidas carnes de paca, anta, queixada (espécie de porco do mato) e pirarucu, todas acondicionadas em freezeres trancados com cadeados. O material será doado a instituições de cunho filantrópico da cidade.

De acordo com Costa e Silva, a ação recebeu esse nome em razão do objetivo de combater crimes relacionados ao meio ambiente, de forma a promover a conscientização das pessoas a não sacrificar animais da fauna silvestre, quer seja para caça ou comercialização.

Ainda segundo o delegado, os trabalhos terão continuidade para serem evitados esses tipos de prática ilegal. “Haverá uma reunião para que comece a ser feita a organização dos boxes na feira. Cada um deles receberá uma numeração e os feirantes serão cadastrados. Dessa forma, nos casos de irregularidade, a pessoa será responsabilizada devidamente”, concluiu.

 

Publicidade
Publicidade