Quinta-feira, 27 de Junho de 2019
Amazônia

Parceria entre Prefeitura e Governo do Amazonas resulta em oficinas sobre 'Rios Voadores'

As oficinas fazem parte do Programa Petrobrás Socioambiental e abrange vários estados para inserir a temática em sala de aula através da capacitação de professores de ciências e geografia.



1.jpg Uma única árvore de médio porte, com uma copa de 10 metros de diâmetro, é capaz de colocar na atmosfera, em um único dia, mais de 300 litros de água, em forma de vapor
06/05/2015 às 18:34

Uma parceria entre a Prefeitura de Manaus e Governo do Amazonas, promove nos próximos dias 13 e 14 de maio, oficinas de capacitação de professores acerca do Projeto Rios Voadores. As oficinas acontecerão no auditório do Centro Educacional de Tempo Integral Gilberto Mestrinho, Educandos e no auditório CETI Áurea Braga, em Compensa, respectivamente.

Entre 2014/2015, o Projeto Rios Voadores está promovendo as oficinas de capacitação em várias cidades da Amazônia e do Centro-Oeste com o objetivo de alcançar 500 mil alunos. Além de Manaus, as cidades do Amazonas também inseridas no programa são Coari, Carauari e Tefé. Os professores participantes da oficina se tornarão multiplicadores de conteúdo e informação.

As oficinas em Manaus serão ministradas pelo professor Dr. Caio Augusto Magalhães, sob coordenação direta do aviador e coordenador do Projeto, Gérard Moss.

 

O projeto

Inserido desde 2007 no Programa Petrobrás Socioambiental, o Projeto Rios Voadores começou com ações de pesquisa científica ao coletar amostras de vapor de água em voos realizados acima da floresta amazônica em um pequeno monomotor. Atualmente, o projeto se dedica à educação ambiental, trabalhando junto às Secretarias de Educação em vários estados do país para inserir essa temática em sala de aula através da capacitação de professores de ciências e geografia.

 

Rios Voadores

Formados por massas de ar carregadas de vapor de água que tem sua origem no Oceano Atlântico, os rios voadores são propelidos pelos ventos, continente adentro. Passam por cima de nossas cabeças transportando essa umidade que, após cada chuva na floresta, é transpirada pelas árvores e levada novamente em adiante, chegando até outras regiões do Brasil e da América do Sul. Estima-se que a quantidade de vapor de água carregado pelas correntes aéreas, verdadeiros rios que voam, seja igual ou até maior que a vazão do próprio rio Amazonas, o maior do mundo.

A importância da floresta amazônica nesse processo é a evapotranspiração de água promovida pelas árvores, que bombeiam umidade para a atmosfera.

De acordo com pesquisas do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), uma única árvore de médio porte, com uma copa de 10 metros de diâmetro, é capaz de colocar na atmosfera, em um único dia, mais de 300 litros de água, em forma de vapor.

Portanto, a quantidade de água que a floresta Amazônica inteira bombeia em 24 horas é estimada em mais de 20 bilhões de toneladas de água.

*Com informações de assessoria

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.