Publicidade
Amazônia
Amazônia

Pesquisadores do Inpa criam cereal matinal e salgadinhos à base de pupunha e açaí

Ricos em potássio, fibras, minerais, vitaminas, os produtores podem complementar a alimentação infantil. Os pesquisadores aguardam interesse de empresários para a comercialização 15/02/2015 às 20:02
Show 1
O açaí e a pupunha são dois frutos amazônicos bastante conhecidos na região
ACRITICA.COM* Manaus (AM)

Os pesquisadores do Instituto, Francisca Souza e Jaime Paiva Lopes Aguiar, foram os responsáveis pelas criações dos snacks (salgadinho em pacote) de açaí e do cereal matinal feito com pupunha. Participaram também da pesquisa os estudantes de mestrado em Ciências de Alimentos da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Ivone Lima Santos e José Carlos de Sales Ferreira.

As pesquisas duraram, em média, dois anos e foram realizadas no Laboratório de Físico-Química de Alimentos, vinculado à Coordenação de Sociedade, Meio Ambiente e Saúde (CSAS/Inpa), e no Laboratório de Cereais, da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp/SP).

De acordo com os pesquisadores, a ideia veio em aproveitar os frutos amazônicos e elaborar novos produtos, ou enriquecer os já existentes. “Produzido a partir do processo de extrusão, é feita uma mistura da farinha de pupunha com a de milho, e uma mistura de farinha de açaí, também,  com a de milho, que é a base de todo cereal e snacks, e com um tratamento térmico o produto se torna mais leve”, explica Jaime Aguiar.

Valor nutricional

“Os snacks de açaí e o cereal matinal de pupunha foram produzidos com valor nutricional superior aos tradicionais feitos à base de milho”, explica a líder do Grupo de Pesquisas em Alimentos e Nutrição na Amazônia, da CSAS/Inpa, Francisca Souza. Segundo ela, esses novos produtos são  ricos em fibras, minerais e vitaminas, além de conter alto teor de potássio e baixo teor de sódio.

Para Souza, que é doutora em Biotecnologia, estes produtos podem tornar-se, também, uma ótima alternativa para complementar a alimentação infantil, inclusive, nas escolas. “Poderia sem nenhum problema ser adicionado aos lanches escolares, pois os snacks têm uma aparência e sabor que agradam as crianças”, explica Souza, acrescentando que conseguiram ajustar o sabor ao gosto de todos sem interferir nos valores nutricionais.

Interesse comercial

As invenções fazem parte dos seis depósitos de pedidos de patente que o Inpa solicitou, no final de 2014 junto ao Instituto Nacional de Proteção Industrial (Inpi). Com sua patente solicitada, os pesquisadores aguardam que alguma empresa se interesse em produzi-los para que os produtos possam ser comercializados.


*Com informações da assessoria

Publicidade
Publicidade