Publicidade
Amazônia
Amazônia

Pesquisadores do Instituto Piagaçu realizam expedição para estudar os hábitos do Pirarucu

O estudo inédito será realizado na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus (RDS-PP) e tem como objetivo monitorar a espécie e otimizar o manejo 13/11/2014 às 11:07
Show 1
Na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Mamirauá, a atividade beneficia dezenas de comunidades ribeirinhas
PERLA SOARES ---

Aproveitando o período da seca no Amazonas, pesquisadores do Instituto Piagaçu (IPi) embarcaram, neste mês, em expedição pela Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus (RDS-PP) para iniciar um estudo inédito sobre telemetria do Pirarucu (Arapaima spp.) em lagos de terra firme.

Além do acompanhamento técnico da pesca manejada do pirarucu, que é realizado por comunidades locais, os pesquisadores do Programa de Conservação e Manejo de Recursos Pesqueiros do IPi fazem a aplicação do equipamento que distribuirá dados sobre a movimentação dos pirarucus pelos lagos da RDS-PP, localizada na região do Baixo rio Purus.

O presidente do Instituto Piagaçu, Felipe Rossoni, esclareceu como é feito esse estudo. “Estamos utilizando uma série de ferramentas tecnológicas de ponta que permitem a aplicação de um sistema chamado telemetria, cujo princípio básico é a transmissão remota (sem fio) de informações entre um aparelho transmissor e um aparelho receptor”, comentou.

O objetivo geral do projeto é entender a dinâmica de uso do espaço pelos pirarucus em seu habitat natural e, com isso, subsidiar informações para a gestão pesqueira, de forma a colaborar com a conservação da espécie e com o manejo sustentável, uma oportunidade única de firmar ainda mais a geração de renda para as comunidades locais.

Peixes da Floresta

Fazendo alusão à vital relação dos peixes com a floresta amazônica, o Instituto Piagaçu criou o projeto “Peixes da Floresta” para promover a manutenção da biodiversidade de peixes amazônicos no rio Purus, após o mapeamento da rotina de diversas espécies de peixes e a constatação da necessidade de conscientizar a comunidade sobre os fundamentos básicos para a exploração e conservação deste importante recurso.

As regiões que estão recebendo a visita e acompanhamento do projeto estão localizadas no Baixo rio Purus, nos municípios de Berurí, Coari, Anori, Tapauá, Manacapuru e Manaus, contemplando cerca de 2 milhões de pessoas.

Publicidade
Publicidade