Publicidade
Amazônia
TREINAMENTO

Piscicultores de 21 municípios do interior do AM recebem treinamento

Mutirão pretende disseminar informações técnicas e científicas sobre as tecnologias de aquicultura em 21 municípios do interior do Amazonas, fortalecendo a produção de peixe 05/04/2016 às 15:53
Show 1066477
Mais de 2,4 mil produtores rurais já foram capacitados (Divulgação)
ACRITICA.COM MANAUS

Piscicultores de 21 municípios do interior do Amazonas estão recebendo a visita de 40 técnicos do Governo do Estado responsáveis pela difusão de tecnologias de aquicultura para fortalecimento do setor aquícola. A ação faz parte de um projeto de pesquisa desenvolvido com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam) para transferência de informações técnicas e científicas sobre boas práticas de manejo de viveiro para piscicultores e produtores rurais.

O projeto é baseado no tripé “ensino, pesquisa e extensão” como mecanismo de fortalecimento do setor aquícola do Amazonas. De acordo com o coordenador do estudo, Jackson Pantoja, o processo de difusão de tecnologias da aquicultura se dá por meio de visitas em campo, cursos rápidos e unidades de observação nas próprias fazendas dos piscicultores.

“O bolsista primeiramente realiza um diagnóstico minucioso da situação de cada propriedade e dos sistemas de cultivo existentes. Após isso, as informações são armazenadas em banco de dados online para contribuir com as análises do projeto e formulação de políticas públicas. Terminado o diagnóstico, o bolsista realiza o atendimento das demandas dos piscicultores. Entre as atividades realizadas podemos destacar: difusão de técnica de manejo do viveiro, manejo alimentar como biometria dos peixes e arraçoamento versus biomassa de peixes”, disse Pantoja.

Capacitação

Até o momento já foram capacitados 2,4 mil produtores rurais. Segundo o pesquisador, desse total, cerca de 1,2 mil possuíam algum tipo de piscicultura em suas propriedades. O projeto é desenvolvido em parceria com as Secretarias de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti/AM) e Estadual de Produção Rural (Sepror).

Doutor em Ecologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e pesquisador da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Jackson Pantoja ressaltou a importância do estudo para fortalecimento do setor, especialmente no interior do Estado. “Os produtores atendidos com este projeto, em sua maioria são produtores que nunca haviam sido atendidos pelo sistema oficial de extensão rural, ou seja, uma nova demanda para o Estado ao final do projeto, em 2016. Além disso, o projeto está capacitando os produtores em suas propriedades, o que conhecemos popularmente como o ‘aprender fazendo’. Certamente esta ação trará impactos positivos em formação de mão de obra para atuar em um setor que está em ampla expansão”, explicou.

Análise da água e conservação

Além disso, conforme Jackson Pantoja, os bolsistas atuam em parceria com projetos de pesquisa do Instituto Federal do Amazonas (Ifam) e instituições parceiras, realizando análises de qualidade de água e investigação parasitária, que em alguns casos pode ocasionar a perda completa da produção. O pesquisador destacou ainda a importância das boas praticas de manejo para preservação das espécies. “Os estoques de tambaqui apresentam declínio há quase três décadas. Diante deste cenário, a piscicultura tem contribuído para suprir a demanda e ajudado na conservação”, disse.

Publicidade
Publicidade