Publicidade
Amazônia
Amazônia

Pneus são usados para conter erosão em empresa e vizinhos denunciam crime ambiental

Empresa do Distrito Industrial de Manaus é denunciada por poluir o meio ambiente por indústria vizinha, mas Ipaam afirma que medida é emergencial para conter erosão de solo 30/07/2015 às 11:30
Show 1
Centenas de pneus velhos foram jogados num barranco para conter a erosão
luana carvalho Manaus (AM)

CONFIRA GALERIA DE IMAGENS

Funcionários de uma distribuidora alimentícia denunciaram uma empresa de incineração de resíduos, localizada na rua Hibisco, Distrito Industrial 2, Zona Leste, por descarte irregular de pneus em área verde e emissão de fumaça tóxica. No entanto, empresários negam o crime ambiental e afirmam que os pneus serão utilizados para a construção de um “talude”, uma espécie de aterro para conter erosões.

Um dos funcionários da empresa alimentícia, Adauto Dias, conta que a fumaça emitida pela queima de todos os tipos de resíduos - desde pneus a lixo hospitalar - prejudica a saúde de quem trabalha próximo à fábrica. “É uma fumaça preta que causa danos respiratórios. Nossos automóveis também ficam cobertos por fuligem”, relata.

Atrás da empresa, uma montanha de pneus se acumula. Ainda segundo os denunciantes, os pneus estão sendo despejados na mata há dois meses. “Um pneu demora quase 500 anos para se decompor na natureza e por isso estamos denunciando esta degradação”, comentou outro funcionário, que preferiu não ter o nome divulgado.

O diretor da empresa de incineração, Roberto Ferreira, negou as denúncias e explicou que “foi tudo um mau entendido”. “Há 45 dias sofremos com uma erosão de barranco que por pouco não atingiu nossa estrutura. Contratamos um engenheiro ambiental para criar um projeto ecológico para conter as erosões”, afirmou.

Roberto ainda não possui autorização  do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), mas garante que apresentou o projeto para a construção do talude ao órgão no início deste mês. “O especialista que elaborou o projeto achou viável fazer a recuperação com pneus. É um trabalho muito comum e ecologicamente correto. Optamos por este tipo de material para evitar ter que pegar barro de outras áreas para fazer o aterro”, disse.

Os pneus serão cobertos por barro do próprio deslizamento, segundo Ferreira. “Nós já demos início aos trabalhos porque temos apenas 120 dias para concluir, por conta da chegada do inverno. É uma medida emergencial”. Segundo o projeto,  esta é uma técnica já bastante utilizada, iniciado nos Estados Unidos e posteriormente difundida para outros países.

Sobre a fumaça, o empresário contou que a empresa é uma das únicas de Manaus que possui autorização para incinerar drogas, lixo hospitalar e lixo industrial. “Nós já tivemos um problema em relação à fumaça, mas nos adaptamos e colocamos filtros especiais. Esta fumaça não prejudica nem nossos funcionários, como prejudicaria funcionários de outras fábricas?”, questiona.

Licenciada

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) informou que a empresa  Amazon Clean Serviços de Incineração possui licença ambiental, conforme a legislação. Quanto à obra do talude, a medida está dentro do plano emergencial da empresa, que consta no verso da licença ambiental, e segundo a Amazon Clean, foi tomada para conter um desmoronamento.

Publicidade
Publicidade