Publicidade
Amazônia
plantio e pecuária na pauta

Políticos do AM pedem revogação da criação de 5 reservas ambientais e 2 terras indígenas

Parlamentares, que solicitaram a revisão dos decretos à Casa Civil, atendem a pedidos de produtores do Estado 16/06/2016 às 10:31
Show 1095420
Deputados federais e estaduais e o senador Omar Aziz se uniram para levar o documento à Casa Civil. Foto: Ariel Costa
Antônio Paulo Brasília (DF)

A Casa Civil, da Presidência da República, recebeu, ontem (16) à noite, da bancada federal do Amazonas, no Congresso Nacional, de representantes da Assembleia Legislativa e de produtores amazonenses documento pedindo a revogação dos últimos decretos da presidente afastada Dilma Rousseff, que criaram cinco novas reservas ambientais e mais duas terras indígenas no Estado do Amazonas.

São as áreas de Proteção Ambiental (APA) Campos de Manicoré, a Reserva Biológica (Rebio) Manicoré, o Parque Nacional (Parna) do Acari e as Florestas Nacionais (Flona) do Aripuanã e de Urupadi, além da ampliação da Flona Amana. Somadas, as reservas ocupam 2,83 milhões de hectares, equivalente ao território do Estado de Alagoas. Elas estão localizadas nos Municípios de Apuí, Novo Aripuanã, Borba, Manicoré e Maués. As terras indígenas recém-criadas estão nas cidades de Autazes e Careiro da Várzea.

Os decretos de Dilma foram publicados no Diário Oficial da União, nos dias 11 e 12 de maio deste ano. A presidente foi afastada do cargo, pelo Senado, no dia 13. Ao assumir a Presidência da República interinamente até a decisão final sobre o impeachment, o presidente Michel Temer prometeu rever todos os atos de Dilma Rousseff.

Preocupados com os impactos na produção agrícola, leiteira e no setor agropecuário, os representantes do Sindicato Rural do Sul do Amazonas (Sindisul), da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Fafea) e o presidente da Comissão de Assuntos Municipais e Revisão territorial da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), deputado Platiny Soares (DEM), foram buscar apoio para revogar os atos de Dilma junto à bancada amazonense no Congresso. Deputados e senadores se reuniram na tarde de ontem, com a comitiva, e decidiram levar a reivindicação à Casa Civil.

“Os deputados e senadores entenderam que essas áreas irão mais prejudicar que beneficiar os moradores do interior do Amazonas”, disse o deputado Platiny Soares. Para o senador Omar Aziz (PSD-AM), a assinatura dos decretos da presidente Dilma, no apagar das luzes, prejudica centenas de milhares de famílias que trabalham há muitos anos nessas áreas”.

Estudos simplórios

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Amazonas (Faea) e o Sindicato Rural do Sul do Amazonas (Sindisul) apontam falhas no processo de demarcação das terras indígenas e da criação de novas áreas de conservação. “São estudos bastante primários e simplórios”, afirmam.

Publicidade
Publicidade