Publicidade
Amazônia
De janeiro a maio

Prefeitura de Manaus identifica 19 ocupações ilegais de área verde, de janeiro a maio

No ano passado, foram contabilizados 44 casos de ocupações irregulares. Na quarta-feira, 30 famílias foram retiradas de uma área verde no Parque das Garças, Zona Norte 01/07/2016 às 13:57 - Atualizado em 01/07/2016 às 15:27
Show 1100171
No ano passado, a pasta contabilizou 44 casos de ocupações irregulares (Antônio Menezes)
Luana Carvalho Manaus (AM)

Dezenove ocupações ilegais em áreas verdes e áreas de proteção ambiental foram identificadas, de janeiro até maio deste ano, em Manaus, pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmas). No ano passado, a pasta contabilizou 44 casos de ocupações irregulares. 

Na quarta-feira (29), uma desocupação foi realizada em uma área verde no loteamento Parque das Garças, Zona Norte, de onde foram retiradas, pela 4ª vez, pelo menos 30 famílias. O terreno invadido liga a área verde a uma Área de Proteção Ambiental (APP), próximo à avenida das Torres.

No local invadido, vários buritizeiros foram derrubados e animais que viviam fugiram por conta da devastação. Muitos vivem na área verde, principalmente sauins-de-coleira, que tiveram que sair por conta da ocupação.

Equipes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmas) e a Polícia Militar (PM) derrubaram os barracos que os ocupantes ergueram. Eles estavam vazios, sem móveis ou eletrodomésticos. O local estava ocupado há quase quatro meses e os próprios moradores do loteamento denunciaram o crime ambiental.

“Tenho oito filhos e fomos despejados, pois morávamos de aluguel aqui no bairro mesmo. Estou aqui para tentar um terreninho”, disse Francisca Nazareno, 43, enquanto olhava os fiscais derrubarem o barraco construído por ela e pelo marido no terreno invadido. Segundo Francisca, a família agora não tem para onde ir.

O mesmo acontece com Elaine Silva, 26, que tem quatro filhos e conta que só invadiu a área porque não aguenta mais pagar aluguel. “Também morava aqui no loteamento de aluguel e quando soube desta invasão aproveitei para tentar um terreno”, confessou.

No entanto, o fiscal da Semmas Ronival Barros disse que a maioria das famílias são do bairro Coroado, na Zona Leste. “Já retiramos essas famílias quatro vezes e eles retornam. Pedimos que eles não retornem, mas não adianta. Já estamos cansados de retirar invasor de área verde. Se retornarem mais uma vez, teremos que acionar a Dema (Delegacia Especializada em Crimes de Meio Ambiente)”, desabafou.

No local, buritizeiros foram derrubados. O fiscal também contou que os animais que viviam na área verde fugiram por conta da devastação. “Tinham muitos bichos aqui, principalmente sauins-de-coleira, que tiveram que sair por conta da ocupação", afirmou o fiscal.

Os ocupantes prometem que irão retornar. “É só eles saírem que a gente volta de novo’, disse Lucilene Costa, 32. A invasão foi denunciada pelos próprios moradores do loteamento.

Publicidade
Publicidade