Publicidade
Amazônia
SUSTENTÁVEL

Projeto desenvolve ações sociais voltadas ao artesanato e sustentabilidade em N. Airão

Apoiada pelo Edital Floresta em Pé, ação envolve jovens locais em atividades de geração de renda sustentável 20/08/2018 às 14:02
Show 36 d5637fcd 0c49 4b63 a422 e9a7ce2c3db7
Foto: Divulgação
acritica.com

Um dos projetos sociais mais tradicionais de Novo Airão, município a 115 quilômetros de Manaus, a Fundação Almerinda Malaquias (FAM) tem aprimorado o processo de produção de artesanato com apoio do Edital Floresta em Pé. Um centro de formação profissional reconhecido regionalmente, a organização está implementando com o apoio do edital da FAS e Fundo Amazônia/BNDES tecnologias inovadoras e sustentáveis, que além da melhoria da fabricação, devem beneficiar 45 famílias do município e aquecer a cadeia produtiva de artesanato local.

Em atuação há mais de 20 de anos, a Almerinda Malaquias tem como um de seus objetivos desenvolver novas atividades de geração de renda através do artesanato com o uso de resíduos e, também, papel para ampliar o mercado existente, assegurando de tal forma a renda de antigos e novos artesãos.

Os recursos do edital disponíveis pela FAS possibilitaram a construção de um secador de madeira solar, estrutura que deve melhorar a qualidade da madeira verde, tornando-a ideal para o trabalho com artesanato, devido ao processo de secagem. O espaço é resultado de um estudo realizado pelo pesquisador Dr. Roland Vetter e equipe do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA).

“A secadora solar permitirá que nós consigamos alcançar patamares mais altos, pois aprimoraremos o processo de secagem de madeira preservando suas características ao máximo. Dessa forma, estaremos entregando marchetaria e artesanato ao mercado com maior qualidade e segurança”, afirma Jean-Daniel Valloton, um dos fundadores da organização e gestor local do projeto.

Com a estrutura, a expectativa é formar jovens para reaproveitamento de resíduos sólidos gerando renda e desenvolvendo o mercado de Novo Airão, visando ampliar os mercados.

“O Edital entrega apoio direto para a Fundação Almerinda Malaquias em, principalmente, capacitar os jovens em atividades lícitas de reaproveitamento de resíduos sólidos que geram renda e desenvolvem o mercado de Novo Airão para níveis nacionais. A FAM permanentemente atua gerando renda através de resíduos de papel, madeira, etc, o Edital nos deu todos os meios para aumentarmos nosso impacto”, destaca Jean.

O Edital Floresta em Pé, desenvolvido pela FAS a partir de um processo seletivo com mais de 181 propostas inscritas, busca apoiar arranjos produtivos sustentáveis desenvolvidos no interior do Estado. Foram 17 iniciativas contempladas, com investimentos que somam R$ 2,5 milhões de reais. Um dos resultados do apoio é o engajamento cada vez mais crescente das organizações e dos beneficiários.

“Em nossas visitas técnicas às instituições contempladas foi perceptível um engajamento comunitário. As pessoas já conseguem perceber o benefício trazido pelo Edital em suas comunidades e esse processo e sensibilização se faz naturalmente à medida que os projetos atingem maturidade. Instituições parceiras estão auxiliando com assessoria financeira, administrativa e desenvolvendo tecnologias sociais para que os projetos tenham grande alcance nas comunidades onde estão”, aponta Mickela Souza, coordenadora do Edital.

Seleção de projetos

O processo de escolha das propostas teve duas etapas de análise: a de iniciativas promissoras, para verificar se as propostas estavam condizentes com os critérios e escopo do edital, e a segunda, de projetos detalhados, na qual foi feita uma análise da clareza de informações, orçamento e cronograma de atividades por um comitê de avaliação independente. Atualmente, o time da coordenação do Edital segue na etapa de assistência técnica em gestão aos projetos aprovados a fim de colaborar na otimização dos resultados dos projetos que possuem de 12 a 18 meses de vigência.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade