Publicidade
Amazônia
Sustentabilidade

Projetos do AM são premiados por boas práticas de gestão ambiental

A premiação tem o objetivo de reconhecer e premiar iniciativas que promovem o desenvolvimento sustentável 21/06/2016 às 14:14
Show  ndice
Tereza Cristina Baratta, Coordenadora Geral do Programa (Divulgação)
Acritica.com

Os projetos da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), do Instituto Internacional de Educação do Brasil (IEB) e do Instituto Floresta Tropical (IFT) foram reconhecidos por apresentar boas práticas de desenvolvimento sustentável do Amazonas no Prêmio Gestão Ambiental no Bioma Amazônia, organizado pelo programa de Qualificação e Gestão Ambiental (PQGA) do Instituto Brasileiro de Administração Municipal (IBAM).

O estado do Amazonas foi premiado com os projetos Forum Diálogo Amazonas: regularização fundiário urgente, do IEB; Programa de Monitoramento Participativo nas Unidades de Conservação do Programa Bolsa Floresta, da FAS, e Implantação da Cadeia Produtiva da Madeira na Resex Ituxi, do IFT.

As experiências premiadas foram escolhidas entre 140 práticas apresentadas por organizações da sociedade civil e prefeituras municipais dos Estados da Amazônia. O prêmio será entregue nesta terça-feira (21), no Teatro Maria Sylvia Nunes, localizado na Estação das Docas, em Belém/ PA.

Nesta entrevista, Tereza Cristina Baratta, Coordenadora Geral do Programa fala sobre a importância da premiação.

Do que se trata o prêmio Gestão Ambiental no Bioma Amazônia?

No dia 21 realizamos a cerimônia de entrega do Prêmio Gestão Ambiental no Bioma Amazônia. O prêmio teve por objetivo identificar e dar visibilidade a iniciativas que contribuem para o desenvolvimento sustentável da região, gerando melhorias das condições ambientais, sociais, econômicas e que representam inovação nos padrões da gestão ambiental municipal. Esta foi a primeira edição.  O PQGA vem sendo desenvolvido há três anos nos nove Estados do Bioma Amazônia pelo IBAM em apoio à organização dos sistemas municipais de meio ambiente.

A quem se destina a premiação?

Nesta primeira edição, tivemos a participação de 140 práticas inscritas desenvolvidas por governos municipais e organizações da sociedade civil, que formaram o público-alvo da premiação.  Na cerimônia foram conferidos certificados de reconhecimento de mérito a 51 práticas selecionadas representando os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Rondônia. Além dessas, as 10 práticas premiadas receberam certificado e troféu. No caso do Pará, temos o excelente desempenho do Estado com quatro práticas premiadas: duas de governo, dos municípios de Brasil Novo e de Bragança, e duas de organizações da sociedade civil (IFT e IEB). 

Qual o balanço que você pode fazer sobre as boas práticas sustentáveis na região?

O balanço é muito positivo. Podemos citar como exemplo municípios com ações prioritárias de recuperação ambiental de nascentes, controle do desmatamento. Há práticas que enfrentam de forma corajosa as queimadas em período de estiagem.  A implantação do cadastro ambiental rural (CAR) também recebeu atenção, com práticas que concretizaram parcerias com organizações da sociedade civil para adequação ambiental dos imóveis até quatro módulos fiscais, ou seja, exatamente as pequenas propriedades rurais que têm mais dificuldade na regularização. Ainda no campo da inovação, vale mencionar iniciativas de mapeamento participativo dos territórios, com o uso das novas tecnologias pelas comunidades locais para controle do desmatamento, com foco na inclusão de mulheres e jovens lideranças. Também não podemos esquecer do número importante de práticas que se inscreveu na categoria produção sustentável e incentivos destinados à conservação, nos lembrando que ser ambientalmente sustentável envolve um braço econômico.

Como ter acesso a mais informações sobre os projetos premiados?

Estamos elaborando uma publicação reunindo as práticas selecionadas. As informações sobre todas as práticas serão também reunidas em um banco de dados que permanecerá disponível no portal do Programa: www.amazonia-ibam.org.br. Além disso, com objetivo de dar visibilidade a essas iniciativas para o grande público, foi planejada uma exposição que percorrerá diversas capitais, instalada num circuito de shopping centers.

*Com informações da assessoria de comunicação.

Publicidade
Publicidade