Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020
INVESTIMENTOS

Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) terá Cetas próprio

Promessa do órgão ambiental é para desafogar Centro de Triagem de Animais Silvestres, mas não tem prazo



04/06/2017 às 21:37

A construção de um Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) pelo Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) deve amenizar o problema da lotação do Cetas do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis (Ibama), mas as obras ainda não têm prazo para serem iniciadas. Foi o que informou o gerente de Fauna do Ipaam, Marcelo Garcia.

De acordo com ele, o instituto está em fase final de elaboração do projeto básico do Cetas, que deverá ser construído no próprio terreno do Ipaam, na avenida Mário Ypiranga Monteiro, bairro Flores. “Estamos na finalização do projeto básico, então não temos prazo ainda. Mas é o mais breve possível. Ainda tem que entrar em licitação, temos eleições pela frente, é difícil prever. Mas será um espaço construído de forma equipada, mas ainda um espaço inicial”, revelou.



Enquanto o Cetas do Ipaam não sai, o do Ibama-AM segue convivendo com problemas como a lotação e dificuldade de destinação, que foram agravados pelo fechamento temporário do Cetas da prefeitura, lembra Robson Czaban, analista ambiental do Ibama. “A gente precisa que o Cetas seja reativado e logo, até porque a capacidade dele é o dobro da nossa”.

Mas esse desejo de Czaban não tem previsão de se realizar. Pelo menos, a assessoria da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) não informou esse prazo à reportagem. Segundo a pasta, os atos de vandalismo e furtos levaram à suspensão temporária do recebimento de animais, mas a secretaria “vem tentando buscar meios alternativos de financiamento para as atividades desenvolvidas na área”.

Recursos internacionais por meio de uma cooperação com a WCS e um convênio com o Ipaam estão na pauta de discussões da secretaria, que ainda alegou que é do Ibama e do Ipaam a “responsabilidade legal pela gestão da fauna no Estado”.


Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.