Publicidade
Amazônia
Amazônia

Retirada de óleo que vazou no Rio Negro deve terminar na segunda

O óleo CAPCM20 –  derivado do petróleo e usado para a produção de massa asfáltica, vazou após o naufrágio de uma balsa da empresa Francis José Chehuan 28/03/2013 às 15:42
Show 1
O proprietário da balsa deve responder pelo crime ambiental
Agência Brasil ---

O trabalho de remoção do óleo que vazou nas águas do Rio Negro na última terça-feira deve ser concluído até a próxima segunda-feira (1º). O óleo CAPCM20 –  derivado do petróleo e usado para a produção de massa asfáltica, vazou após o naufrágio de uma balsa da empresa Francis José Chehuan.

De acordo com o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), cerca de 15 mil litros do produto vazaram e contaminaram aproximadamente 900 metros quadrados do rio na orla do São Raimundo, próximo a Rua Padre Agostinho Caballero Martins, zona oeste de Manaus. Em inspeção realizada ontem (27) por técnicos do instituto, não foram identificadas evidências de mortandade de fauna aquática.

A empresa Francis José Chehuan, que não tem licença para embarque e desembarque de carga no local do acidente, vai ser multada pelas autoridades amazonenses, segundo o Ipaam. O valor da multa será definido na próxima segunda-feira. Na ocasião, a empresa será notificada da obrigatoriedade de apresentar um relatório sobre o acidente e a destinação dos resíduos retirados do rio, no prazo de 30 dias.

De acordo com o Ipaam, a empresa possui licença de operação somente para transporte fluvial de cargas perigosas, mas não para as operações de carga e descarga no porto, no local em que a balsa afundou. A falta da licença será um dos critérios considerados no cálculo do valor da multa a ser aplicada.

A assessoria de imprensa do Ipaam informou à Agência Brasil que logo após o acidente, a empresa providenciou o isolamento da área, o que minimizou os danos. Dois tanques caíram no Rio Negro, mas em apenas um houve vazamento.

Publicidade
Publicidade