Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
Sustentabilidade

Feira mostra que é possível conciliar produção e preservação da floresta

Segunda edição da Feira Urbana de Alternativas foi realizada no domingo (5), na sede da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), no bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul



Capturar.PNG Produtores de Apuí, no Sul do Amazonas, produzem café sem a utilização de produtos químicos e através de sistemas agroflorestais, que contribuem para a preservação do Meio Ambiente (Fotos: Antônio Lima)
05/06/2016 às 21:14

É possível produzir sem prejudicar a floresta local e, ainda, conter o desmatamento. Isso já é realidade no município de Apuí (a 453 quilômetros de Manaus), onde há quase quatro anos 24 produtores de café investiram numa produção sem a utilização de produtos químicos e através de sistemas agroflorestais, que contribuem para a preservação do Meio Ambiente. Eles tiveram aumento médio de produção de nove sacas por hectare para 24 sacas.

O produto, considerado o primeiro café 100% conilon sustentável da Amazônia, está disponível em alguns supermercados e empórios da cidade. E ontem, também esteve exposto durante a 2ª edição da Feira Urbana de Alternativas (FUÁ), realizada na sede da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), no bairro Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul.



O “Café Apuí” é resultado de um projeto desenvolvido pelo Instituto de Conservação de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (Idesam), no município, que fica no Sul do Estado. De Acordo com o gerente de Programa de Produção Rural Sustentável da Organização Não Governamental (ONG), Gabriel Cardoso Carrero, a produção do café em agrofloresta gera inúmeros benefícios.  

“Essa técnica permite que outras espécies florestais sejam plantadas juntas com a plantação de café, possibilitando o sombreamento do cafezal. Isso contribui para aumentar a produtividade e a qualidade do grão e viabiliza a produção orgânica, que não gera impactos à saúde humana ou ao Meio Ambiente pela ausência de produtos químicos”, explicou.

A segunda FUÁ foi realizada ontem em alusão do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado no dia 5 de maio. O evento, fruto de uma parceria entre FAS, Casacinco e o cantor e compositor Marcelo Nakamura, aconteceu de 9h às 19h. Artes, fotografia, gastronomia, palestras sobre o Meio Ambiente, terapia holística, feiras de produtos regionais e de artesanato além de shows de bandas regionais, entre outros, fizeram parte da programação.

De acordo com uma das organizadoras da feira, Laelia Nogueira, uma das novidades do evento foi à feira de produtos regionais com produtores de Rio Preto da Eva, que vieram especialmente para participar da segunda FUÁ. “Esse espaço nós não tivemos na edição anterior, mas nossos expositores são rotativos até por causa dessa ideia de dar espaço para todo mundo e oferecer novas opções para as pessoas que vem participar da FUÁ”, comentou.

Saiba mais

A 2ª edição da FUÁ, contou com uma palestra realizada pelo Movimento Ficha Verde. Na ocasião, eles apresentaram a proposta sobre uma agenda de sustentabilidade, que será debatida e apresentada aos candidatos a vereadores e prefeito de Manaus, para que assumam como prioridade de governo.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.