Publicidade
Amazônia
Amazônia

Sonho de infância: empresária plantou árvore quando era criança e agora construiu uma casa nela

Independente do tamanho ou da espécie, as árvores são responsáveis pela produção de oxigênio, filtram a poluição do ar, garantem sombra e, de quebra, ainda deixam a paisagem das cidades coloridas, agradáveis e mais frescas 21/09/2015 às 20:05
Show 1
Michelle e Massimo Bianchi se divertem junto com os quatro filhos na ‘casinha’ construída na copa de uma mangueira. A árvore tem mais de 30 anos de vida e garante sombra, frutas, e a visita de pássaros na residência da família
Luana Carvalho Manaus (AM)

Quem nunca sonhou em ter uma casa na árvore? O sonho de infância de muitos tornou-se realidade para a família Benchimol Bianchi, que construiu em três semanas uma linda casinha na copa de uma árvore. Há 30 anos a mangueira garante sombra, frutas, atrai pássaros e agora é o local oficial de diversão das crianças.   

Em homenagem ao dia da árvore, comemorado nesta segunda-feira, a empresária Michelle Benchimol Bianchi, 37, relembra que foi ela mesma que plantou a árvore, quando ainda era criança. “Plantei essa mangueira quando eu tinha seis anos de idade. Morei a vida toda nessa casa e estudei fora durante um tempo. Quando voltei, já casada, fiquei muito feliz em ver que a mangueira ainda continuava no mesmo lugar”.

O projeto é do designer Massimo Bianchi, 40, marido de Michelle e pai de Daniel, 7, dos gêmeos Nicole e Matteo, 5, e do mais novo integrante da família, Saul, de um ano. “Eu morava em apartamento e nunca tive a oportunidade de ter uma casa na árvore. Como gostamos muito de plantas tive a ideia de projetar essa casa e dei de presente no dia das crianças. Eles adoraram”, relata.

Para construir uma casa na árvore, Mássimo orienta que as famílias procurem um bom marceneiro, que também tenha experiência em carpintaria. “É claro que devemos ter a preocupação de oferecer segurança às crianças. Mas é algo acessível para se fazer. Oriento que usem uma madeira boa e que façam manutenção sempre”, ressalta o designer. 

Enquanto a equipe de ACRÍTICA conversava com o casal, o filho mais velho comentou, com orgulho, que a casa onde mora “é toda coberta de plantas”. Eles estimam que pelo menos 200 pés de plantas já tenham sido plantados na residência.

“Seria muito bom se todos tivessem essa consciência de que uma árvore nos traz benefícios. Além de nos proteger do forte calor, é lindo contemplar a beleza dela e dos pássaros que se alimentam das mangas. Meu filho mais novo adora. Todas as manhãs ele fica observando os pássaros”, comenta Michelle

Por uma 'Manaus + verde'

É fato que uma única árvore plantada num quintal ou na frente de uma casa faz uma grande diferença no meio ambiente. Independente do tamanho ou da espécie, as árvores são responsáveis pela produção de oxigênio, filtram a poluição do ar, garantem sobram e, de quebra, ainda deixam a paisagem das cidades coloridas, agradáveis e mais frescas.

Pensando na melhoria da qualidade de vida dos manauenses, a estudante Lais Naha Lopes, 18, apesar de muito jovem, criou uma campanha para incentivar o plantio de árvores em Manaus. “Pensei em fazer algo em favor do meio ambiente há quase dois anos, mas só há dois meses dei o ‘start’.

Ela conta que a campanha surgiu a partir da  preocupação com o aumento da temperatura na cidade. “E também com a tristeza de ver os igarapés e antigos balneários poluídos, de ver vários monumentos vandalizados, de ver a falta de arborização num lugar que fica no meio da floresta amazônica”. A estudante acredita que com uma cidade  arborizada, a qualidade de vida pode melhorar muito. “Em Manaus é impossível viver sem ar-condicionado, o que provoca, por sua vez, doenças respiratórias. Achei que era preciso fazer alguma coisa, uma ação de cidadania mesmo para mudar esse quadro”, complementa.

O movimento atua de forma independente, mas buscando a implementação de políticas  públicas. “Criamos uma identidade visual e confeccionamos camisas do movimento  e pretendemos fazer reuniões periódicas para debater os problemas e decidir as ações que faremos”.

A primeira causa é em defesa da distribuição do plantio de mudas e sementes, e um abraço verde em árvores centenárias da cidade. “O nosso grupo é jovem, mas já conseguiu vem muitas adesões  de gente de todas as idades e, em breve, faremos o lançamento definitivo do movimento”. O dinheiro arrecadado com a venda das camisetas será revertido, neste momento, em benefício aos moradores de ruas.

O movimento está nascendo, mas já está dando sementes. Estamos na fase de divulgação e de captação de adeptos para a causa, que é uma causa de todos nós”. Quem quiser participar da causa pode entrar em contato com a estudante pelo número (92) 981595425.

Publicidade
Publicidade