Segunda-feira, 03 de Agosto de 2020
AÇÃO

Titular da Sema é nomeado para compor Comitê Federal de programa

Conhecido como “Arpa”, Programa coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente visa fortalecer a gestão das Unidades de Conservação



SECRET_RIO_F4E76277-8F7B-40A9-8D02-BB2BF02B7E4C.jpg Foto: Divulgação
15/07/2020 às 20:28

O titular da Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas (Sema), Eduardo Taveira, foi designado pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para compor o Comitê do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa). A nomeação ocorreu na terça-feira (14) e foi publicada na edição do Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (15/07).

Conforme a Portaria nº 298, de 14 de julho de 2020, do Governo Federal, Taveira ocupará a função de titular representante dos órgãos e entidades estaduais responsáveis pela gestão das Unidades de Conservação (UCs) integrantes do programa, que é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e atua no fortalecimento de 117 áreas protegidas na região amazônica.



“É uma posição que assumo com bastante entusiasmo, com o compromisso de sempre buscar, de forma planejada, organizada e responsável, as melhores decisões para as Unidades de Conservação e para as populações tradicionais que cuidam dessas áreas, que são tão importantes para o desenvolvimento sustentável e para a manutenção da Floresta Amazônica em pé”, disse Taveira.

O Comitê do Arpa é a instância de direção responsável pelas deliberações do planejamento estratégico do programa e outras pautas acerca da gestão das UCs, bem como da promoção do desenvolvimento sustentável da Amazônia.

Além de Taveira, também foram nomeados representantes das secretarias de Biodiversidade e de Relações Internacionais do MMA, do Ministério da Economia e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Participam ainda representantes civil e representantes das entidades privadas doadoras de recursos privados ao programa.

Programa Arpa

O Arpa é coordenado pelo MMA e executado em parceria com agências de áreas de proteção federais e estaduais, instituições privadas e sociedade civil. O programa foi criado em 2002 com o objetivo de promover a conservação e a proteção permanente de 60 milhões de hectares ou 15% da Amazônia brasileira – uma área maior que a Alemanha.

O programa representa hoje a principal estratégia de conservação da biodiversidade para o bioma amazônico. Por meio da criação, da expansão e do fortalecimento de UCs, o Arpa assegura recursos financeiros para a gestão e manutenção dessas unidades e a promoção do desenvolvimento sustentável da Amazônia.

 Atualmente, o programa apoia a consolidação de 117 UCs na região amazônica. A iniciativa é gerenciada financeiramente pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio) e financiado com recursos do Global Environment Facility (GEF), do governo da Alemanha (KfW), da Rede WWF, Moore Foundation e do Fundo Amazônia, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.