Domingo, 22 de Setembro de 2019
POLÍTICA

Três atos em defesa da Amazônia ocorrem neste sábado (24) em Manaus

Nos sete primeiros meses de 2019, o Amazonas registrou 1.699 focos de calor segundo dados da Secretaria de Estado e Meio Ambiente (Sema)



afpd_9E52C0CB-AC01-4267-AB69-60321E41E7DC.JPG Foto: Luis Robayo/AFP
23/08/2019 às 12:40

Dezenas de manifestações pelo Brasil e em mais de dez países estão agendadas para ocorrer a partir desta sexta-feira (23), em defesa da Amazônia e em protesto contra as políticas de meio ambiente. Em Manaus, a agenda é composta por três atos que serão realizados durante o sábado (24) no Centro e na Ponta Negra, respectivamente nas zonas Sul e Oeste de Manaus.

Pela manhã, a Companhia Vitória Régia irá realizar a passeata ecológica “SOS Amazônia” com concentração na Praça do Congresso, a partir das 9h, no Centro de Manaus. O ato contará com uma intervenção artística e uma caminhada até o Relógio Municipal, na Praça da Matriz.

O Movimento Todos Amazônia programa uma marcha a partir das 15h deste sábado, na Praça da Saudade. O manuscrito divulgado pela comissão organizadora informa que a manifestação é apartidária e com o propósito de “levar às ruas a indignação coletiva ao atual cenário da Amazônia, marcado pela queimada de nossa floresta e destruição da biodiversidade”. Com carro de som, a passeata seguirá até a avenida Epaminondas.

Em prol da preservação ambiental, os organizadores pedem, na convocação, que os participantes levem suas garrafinhas ou copos e também façam o descarte correto dos cartazes utilizados no ato e do lixo.

Movimentos sociais e lideranças indígenas marcaram para este sábado o ato “Salve a Amazônia”, às 16h, na Ponta Negra. De acordo com um dos organizadores, Yura Ní-Nawavo Marubo, o manifesto visa mostrar ao mundo a indignação com o desmatamento na Amazônia e um clamor de respeito às florestas, aos animais e aos povos indígenas.

“Não podemos permitir que continuem derrubando e queimando nossas florestas, incinerando vivos os animais, extinguindo toda a vida para dar lugar a pastos e soja. Queremos que essa mensagem chegue no mundo e mostre a indignação e insatisfação dos cidadãos com a situação pelo posicionamento do governo em amordaçar o Ibama [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis], Icmbio [Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade], a retirada de recursos e a transferência de funcionários de uma área protegida para o sertão”, declarou o porta-voz dos povos indígenas do Vale do Javari, acrescentando que o ato será transmitido nas redes sociais.

Os organizadores pedem que os manifestantes usem uma roupa branca com sua mensagem de preservação em vermelho. “Vamos levar uma tinta vermelha guache para simbolizar a morte da fauna e flora, dos animais, que é estarrecedor e muito triste. A camisa branca é para simbolizar a paz e o pensamento coletivo”, disse a liderança indígena.

Nesta sexta-feira, manifestações estão previstas para ocorrer em Brasília, Rio, São Paulo, Salvador e Curitiba. Além de Manaus, amanhã (sábado) há atos marcados em Belém, Recife, Fortaleza, Porto Alegre, Goiânia, São Luís, Vitória, Campo Grande, Cuiabá, Palmas, Aracaju, Natal e Maceió.

Apuí lidera em queimadas

Nos sete primeiros meses de 2019, o Amazonas registrou 1.699 focos de calor segundo dados da Secretaria de Estado e Meio Ambiente (Sema). O número é inferior ao mesmo período nos anos de 2016 e 2017, quando foram registrados, respectivamente, 2.221 e 1.784 focos. Do total detectado nos primeiros sete meses deste ano, o mês de julho, quando inicia o período de estiagem, contribuiu com 80,7%, com 1.372 focos de calor. O município de Apuí, a 453 quilômetros de distância de Manaus, lidera o ranking com a maior concentração de queimadas.

News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.