Publicidade
Amazônia
Amazônia

Vazante em época de 'cheia' no rio Negro assusta e pode ser reflexo da seca no rio Solimões

Rio que banha Manaus desceu cinco metros em relação a vazante do mesmo período nos últimos cinco anos, o que é incomum para a época 16/02/2016 às 22:07
Show 1
Em algum trechos da margem do rio Negro, é visível o cenário de seca
Isabelle Valois Manaus (AM)

O rio Negro secou cinco metros a mais de janeiro até ontem (16) em comparação com o mesmo período dos últimos cinco anos. O fenômeno surpreende técnicos em hidrologia e ribeirinhos. Nos últimos 13 dias, o rio vazou 40 centímetros, enquanto no mesmo período de 2015 o nível estava 78 centímetros acima e atingia a cota de 24,43 metros.

A última vez que o rio Negro passou por uma variação como essa foi quase em 10 anos, quando desceu 20 centímetros entre os meses de fevereiro e março de 2007. O rio Negro também passou por essa variação nos anos de 2006, 2004, 2002 e em 1995.

Além do rio Negro, o rio Branco passa por uma das mais intensas estiagens da história dos últimos 20 anos, período que o rio vem sendo monitorado. Outra situação semelhante ocorreu com o rio Solimões que em 23 dias, desde o dia 15 de janeiro, desceu 3,5 metros no período de enchente.

Para o pesquisador em geociência do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), André Santos, no caso do rio Negro, a preocupação será extrema dependendo de como seguirá a cheia deste ano. “A cheia fraca não traz transtorno, mas a preocuparação fica direcionada para a vazante e tudo pode mudar dependendo de como seguirá o período da cheia”, disse.

O pesquisador acredita que essa variação que o rio Negro tem passado é ocasionada pela descida das águas do rio Solimões. André informou que o Solimões teve uma descida brusca este ano comparado aos demais casos que ocorreu desde quando iniciou o monitoramento em Tabatinga (a 1.105 quilômetros distante de Manaus).

“Nunca tínhamos presenciado o rio Solimões no período de enchente descer tanto em tão pouco tempo, pois foram 3,5 metros em pelo menos 23 dias. Não acreditávamos que haveria alteração no rio Negro, mas acredito que logo ele voltará a encher, pois o Solimões voltou a subir na última semana”, comentou Santos.

De acordo com o pesquisador, a subida das águas do rio Solimões deve influenciar no rio Negro depois de duas semanas. “Acredito que o rio Negro deve retornar a subir em menos de duas semanas. Acredito que no período de abril e maio vamos poder nos posicionar sobre como deve ocorrer a vazante deste ano, que pode ou não nos preocupar. Acredito que até lá, a situação possa normalizar”, completou.

Variação do rio também ocorreu em 2007

A última vez que o rio Negro passou por uma variação como essa foi em 2007, quando desceu 20 centímetros entre os meses de fevereiro e março. O rio Negro também passou por essa variação nos anos de 2006, 2004, 2002 e em 1995. “Por enquanto esse fenômeno não é uma novidade, até porque sabemos que estamos com falta de chuva na região ocasionado pelo El Niño. Será preocupante se por acaso o rio não voltar a encher, mas acredito que isso não venha acontecer”, disse o chefe do Serviço de Hidrologia do Porto de Manaus, Valderino Pereira da Silva.

O rio Negro começou a descer desde o dia 4 deste mês. No dia 15 desceu 5 centímetros, a maior descida deste mês. Desde o dia 12 o rio Negro vem descendo 4 centímetros por dia a diferença foi só ontem, mas hoje retornou a descer 4 centímetros.


Publicidade
Publicidade