Publicidade
Amazônia
Amazônia

Vazante oferece riscos ao transporte de passageiros

No rio Negro, a vazante ainda permance 1,11 metros acima do registrado no mesmo período do ano passado. A enchente deste ano passou a ser a terceira maior em tempo de duração acima dos 29 metros e a quinta em magnitude, ao alcançar a cota máxima de 29, 50 metros 13/09/2014 às 12:33
Show 1
Comandantes de barcos que levam passageiros a municípios do interior precisam ter cuidado redobrado no rio Madeira
Jéssica Vasconcelos Manaus (AM)

A falta de dragagem (retirada dos sedimentos) do rio Madeira, além de afetar o abastecimento de alguns produtos no Acre, Rondônia e parte do Mato Grosso, tem prejudicado também as embarcações de passageiros, que estão mais vulneráveis, devido à grande quantidade de pedras e areia no fundo do rio, que ocasionam um número maior de barcos encalhados. 

Segundo o presidente do Sindicato das Empresas de Navegação do Estado do Amazonas, Claudomiro Carvalho Filho, o assoreamento do rio Madeira prejudica não só as balsas que trazem insumos para Manaus, mas também o transporte de passageiros, que fica comprometido pela falta de segurança. “A situação fica ruim para todos, pois a  dificuldade de passar em alguns canais vem acontecendo desde o final de agosto sem que nada seja feito pelos responsáveis pela navegação no Estado”, disse Claudomiro.

O comandante do barco Almirante Moreira, José Antonio Viana, que faz viagens de Manaus até Porto Velho, explica que a grande quantidade de bancos de areia e pedras  no rio Madeira exige atenção redobrada de quem comanda as embarcamções, pois a qualquer momento o barco pode encalhar.

Segundo José Antonio, se a situação não melhorar, será necessário começar a diminuir a quantidade de carga e passageiros transportada a cada viagem pelo rio Madeira.

“Está difícil e, se continuar assim e nada for feito, a alternativa vai ser diminuir a carga e os passageiros”, disse o comandante.

Duração estendida

Ainda segundo José Antonio, a viagem de Porto Velho até Manaus, que normalmente é feita em quatro dias, agora está demorando um dia a mais. “Tem canais que estão apenas com 1,5  metro de profundidade, quando o mínimo  para se ter uma navegação segura seria três metros”, explicou o comandante.

De acordo com proprietário do barco Comandante Paiva 2, Valmir Araújo,  que faz linha para o Município de Nova Olinda do Norte, a navegação no  rio Madeira começa a ficar ruim a partir do Município de Borba, pois até esse ponto as águas são tranquilas e, portanto, não há muitos bancos de areia. “Nós estamos viajando normalmente, mas sabemos que em uma parte do rio a situação está difícil, então estamos tomando bastante cuidado quando chegamos nesse trecho”, disse Valmir.

Ritmo normal

Segundo dados do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) a vazante do rio Madeira está seguindo ritmo normal para o período. A calha do Madeira registrou, este ano, cheia recorde, deixando milhares de famílias desabrigadas e destruindo plantações.

Negro

No rio Negro, a vazante ainda permance 1,11 metros acima do registrado no mesmo período do ano passado, segundo o último monitoramento do CPRM. Ontem, a cota do rio Negro era de 26,11 metros. Do dia 10 para ontem, o nível do rio baixou 13 centímetros.

Publicidade
Publicidade