Publicidade
Amazônia
Sustentabilidade

Festival Virada Sustentável reúne mais de 200 ações na capital amazonense

Com pegada ambiental está programado para ocorrer nos dias 9 e 10 de julho em várias zonas da cidade 20/05/2016 às 14:43 - Atualizado em 20/05/2016 às 14:50
Show sustent vel
Mais de 25 organizações, entre empresas privadas, escolas, movimentos sociais, órgãos públicos e coletivos de cultura fazem parte do Conselho Criativo / Foto: Divulgação
Mayrlla Motta Manaus (AM)

Vamos virar Manaus! Essa é a intenção da segunda edição do movimento Virada Sustentável, o maior festival baseado na sustentabilidade no Brasil. Desta vez, o projeto pretende contemplar todas as zonas da capital amazonense com shows, feiras, oficinas infanto-juvenil, rodas de conversas e outras atividades culturais gratuitas. A apresentação do evento, programado para ocorrer nos dias 9 e 10 de julho, foi na manhã de quinta-feira (19) no Parque Municipal do Mindu, na Zona Centro-Sul.

Na ocasião foram apresentadas as diversas atividades que serão aplicadas em espaços públicos da cidade. Além do lançamento do edital para inscrição de ações  durante os dois dias do movimento, disponível em www.viradasustentavel.com/manaus. O prazo de inscrição das propostas a serem integradas vai até 10 de junho. O resultado será divulgado no dia 27 de junho no Teatro Amazonas. O público pode participar ainda  como voluntário durante o movimento.

Segundo a organização, na edição de 2015 mais de 500 pessoas se voluntariaram para ajudar nas atrações promovidas. A expectativa é que mais de dez mil pessoas participem de todas as atividades neste ano.

O evento é uma realização da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) em parceria com a Virada Sustentável de São Paulo. De acordo com o Superintendente-geral da FAS, Virgilio Viana, o movimento é uma oportunidade única para restabelecer a relação do homem versus natureza.

“Ela pode ser através de ações práticas como a recuperação de nascente, limpeza de árvores e também no campo da utopia. Nossa ponte é a cultura, pois os artistas muita das vezes têm mais capacidade de traduzir um tema complexo de uma forma mais holística. Normalmente os cientistas tendem a ter uma visão mais fragmentada. Estamos incorporando artistas plásticos, artes cênicas músicos e outros para levar essa mensagem de que é preciso mudar e resgatar essa relação do homem com a natureza”, explica Viana, PhD em Biologia pela Universidade de Harvard.

De acordo com a coordenadora da Virada Sustentável Manaus, Paula Gabriel, o festival tende a crescer mais ainda na capital. “Realizamos desde 2011  em SP, e a partir da participação da FAS junto com o conselho criativo resolvemos trazer para Manaus. É importante que o público participe dessas ações que discutirão a importância do meio ambiente. Teremos mais de 200 atividades, nas zonas Leste e Norte, no Centro, na Ponta Negra e em parques da cidade”, disse.

Um dos lugares contemplados com atividades será o Parque Municipal do Mindu. Para o Secretário Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Itamar de Oliveira Mar, é satisfatório ceder o espaço para ações como essa. “É uma grande oportunidade da população e também para quem trabalha com o meio ambiente de intensificar  as relações com a natureza”, expressa.

Conselho criativo

Mais de 25 organizações, entre movimentos sociais, órgãos públicos, empresas, coletivos de cultura e escolas, participam do chamado conselho criativo, que juntos dão forma ao projeto e ajudam a fomentar a ideia de construir um mundo melhor para se viver.

Compõem o conselho: o Atelier Arte Mandala Tepui; Banksia Films, CasaCinco; Descarte Correto; Escoteiros do Brasil; Fotoclube Lentes da Amazônia; Fundação Vitória Amazônica; Global Shapers Manaus; Idesam; Impact Hub; Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia; Instituto Amazônia+; Instituto Sumaúma JACC Produções; Knesys; Movimento Ficha Verde; Museu da Floresta; Museu da Amazônia (Musa); Na Tora Produções; Pedala Manaus; Projeto Socioambiental Meu ambiente; RP Manaus; Saúde Solidária; SDSN-Youth; Suçuarana; TransformAÇÃO e Yoga Manaus.

Para Juliana Teles, representante do grupo Global Shapers Manaus, a transformação vem de dentro. “Já é a segunda vez que participamos do movimento e o que mais me impressiona e também entusiasma é a questão de pertencimento da cidade e a concepção de que somos donos e fazemos parte dela”, comentou a representante durante o lançamento.

Publicidade
Publicidade