Terça-feira, 22 de Outubro de 2019
Projeto Fronteira

Workshop apresenta resultado de pesquisas do Projeto Fronteira no Alto Rio Negro

Estudo realizado por pesquisadores no período de 2007 a 2012 pesquisou sobre a biodiversidade da região do Alto Solimões (AM)



1.jpg O cubiu está entre as frutas da Amazônia que poderão servir de alternativa econômica. O livro sobre o cubiu foi apresentado durante o evento em São Gabriel
20/09/2013 às 14:22

Incrementar a alimentação com a riqueza da própria biodiversidade local. Pesquisadores que participaram do Projeto Fronteira  nas cidades de São Gabriel da Cachoeira e Santa Isabel, na região do Alto Rio Negro, apresentaram que é possível sim o uso sustentável da agricultura familiar para o desenvolvimento do setor de alimentos no Amazonas.

Os resultados dos estudos foram apresentados para a população de São Gabriel da Cachoeira durante o III Workshop do Projeto Fronteira realizado no município, distante 857 km de Manaus.



"A variação dos recursos genéticos vegetais aqui do município de São Gabriel da Cachoeira são enormes, e as comunidades não podem e nem devem depender de alimentos vindos da cidade, pois só aqui são encontradas 700 espécies disponíveis para alimentação", destacou o engenheiro agrônomo e técnico Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) Ariel Dotto Blind , durante o workshop.

Além de Ariel Blind, outros pesquisadores também apresentaram suas conclusões durante o encontro.  "As águas transfronteiras do Alto Rio Negro", foi a palestra proferida pela pesquisadora do Inpa, Domitilla Pascoaloto, que também explicou para o público sobre "Águas superficiais e subterrâneas em São Gabriel da Cachoeira". "Ainda é preciso organizarmos outros subprojetos dentro do Projeto Fronteira, porque quando foram realizadas as pesquisas percebemos que ainda temos muito o que estudar e entender a região do Alto Rio Negro que é tão singular", comentou Pascoaloto.

Outras apresentações do evento foram sobre a "Meliponicultura no Alto Rio Negro" ministrada pela pesquisadora Gislene de Almeida; "Potencial Bioeconômico de Fabaceae do Alto Rio Negro" ministrada pelo pesquisador Luiz Augusto Gomes.

Leguminosas com alto potencial

De acordo com o pesquisador, Luiz Gomes que palestrou sobre "Potencial bioeconômico de Fabaceae do Alto Rio Negro", as fabaceaes, que são conhecidas também como leguminosas, possuem vários potenciais de uso, um deles seria a recuperação de solos. "As leguminosas são de extrema importância para os sistemas agroflorestais, pois possui o potencial, a longo prazo, de recuperar áreas que foram destruídas pela ação antrópica, fora outros aspectos que são utilizadas, como objetos de decoração de grande valor", explicou o pesquisador.

(*) Com informações da Asscom/ Inpa(MCTI)


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.