Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019
Tribunal do Júri

2º dia de julgamento do ‘caso Marcelaine’ tem debate entre MP e advogados

O promotor de Justiça Rogério Marques iniciou falando sobre a conduta de Marcelaine Schumann. Segundo ele, a socialite achava normal trair o marido, mas não aceitava o amante ter outra



22b12a99-35e3-476a-8562-a3dd6926f969.jpg (Foto: Winnetou Almeida)
02/06/2016 às 11:13

Com mais de duas horas de atraso, o segundo dia de julgamento do “caso Marcelaine” iniciou nesta quinta-feira (2) no Tribunal do Júri, em Manaus, com as acusações feitas pelo Ministério Público. Depois, vai ser a vez de falar dos advogados de defesa dos réus.

São julgados cinco réus: o principal deles é a socialite Marcelaine Schumann, acusada de arquitetar a morte da rival em um triângulo amoroso, Denise Almeida, que foi baleada três vezes em novembro de 2014 e sobreviveu. Os outros réus são Rafael Leal, o “Salsicha”, o autor dos disparos contra a vítima; Charles “Mac Donald”, o negociador; Karen Arevalo, responsável por conseguir o revólver; e o vigilante Edney Costa Gomes, 27.

Acusação

O promotor de Justiça Rogério Marques, que faz a acusação, iniciou os debates falando sobre a conduta de Marcelaine. Segundo ele, para a socialite era normal ter um relacionamento com dois homens, porém ela não aceitava o amante, o empresário Marcos Souto, ter outra amante (que era Denise Almeida)

O promotor Rogério Marques resumiu, antes do início da acusação, que vai sustentar a tese de tentativa de homicídio qualificado. Para ele, houve sim a intenção de matar Denise Almeida e não apenas de dar “um susto” conforme disseram os réus.

Defesa

Já o advogado de Marcelaine, Eguinaldo Moura, previu à reportagem que vai tentar desqualificar o crime de tentativa de homicídio e modificá-lo para lesão corporal, o que poderia diminuir a pena ou até absolver os réus.

Maria Ester Coelho, que está fazendo a defesa de Charles Mac Donald, Rafael e Edney, disse que vai pedir a retirada da qualificadora de crime com promessa de pagamento para Charles, a absolvição de Edney por falta de provas e a retirada da qualificadora de tentativa de homicídio para Rafael.

Já a defesa de Karen vai usar duas teses. A primeira é a negativa de autoria e vai pedir a absolvição dela e, na segunda tese, ele vai defender que ela teve a participação mínima.

Até a noite de hoje

A previsão para o término do julgamento é 18h de hoje, conforme informou o juiz Mauro Antony, da 3ª Vara do Tribunal do Júri que preside o julgamento.

Até o início das apresentações do Ministério Público, os únicos réus presentes eram Marcelaine, Karen e Edney. Os réus Rafael e Edney não foram apresentados – os dois estão presos no Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM) no Km 8 da rodovia BR-174

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.