Quarta-feira, 05 de Maio de 2021
Assassinatos

2021 começa com dois assassinatos na Zona Norte de Manaus

Crimes já estão sendo investigados pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS)



b42b324f-debd-4d88-b01d-4f34b4a8bea7_DACC0EC0-4C36-4197-AE25-034359A6AA12.jpg Foto: Josemar Antunes
01/01/2021 às 11:47

O ano de 2021 começou de forma violenta, com assassinatos por arma de fogo e arma branca. Os crimes foram motivados por tráfico de drogas e vingança.

O primeiro homicídio ocorreu na rua Rio Airão (antiga Joinville), no conjunto Amazonino Mendes, mais conhecido como "Mutirão". O pintor Marcos Nascimento Mota, 26, que era monitorado por tornozeleira eletrônica, foi executado com quatro tiros à queima-roupa.



Testemunhas disseram à polícia que Marcos estava sendo perseguido por dois homens em uma motocicleta, de cor escura e placa não reconhecida. Após ser alcançado, o passageiro ordenou que a vítima deitasse na calçada antes de efetuar os disparos. 

Conforme as informações do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), a vítima foi atingida com dois tiros no tórax, um no cotovelo e outro na região lombar. Na cena do crime, o perito não encontrou estojos deflagrados do armamento.

Os familiares relataram para a polícia que Marcos havia saído recentemente do sistema prisional e afirmaram desconhecer a motivação do assassinato.

Em consulta ao Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp), a vítima tinha passagens pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo, tráfico de drogas e roubo.

O corpo foi removido para exames de necropsia no Instituto Médico Legal (IML). A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) irá investigar o assassinato.

Outro caso

A cabeleireira Leda Lizandra Santos Marques, 32, foi assassinada com 14 facadas na madrugada desta sexta-feira (1°), por volta das 5h, na rua Coqueiral (antiga rua Exôdo), na comunidade Nossa Senhora de Fátima 1.

A vítima ainda foi socorrida e levada para o Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Dr. Platão Araújo, na Zona Leste, mas não resistiu aos ferimentos.

A autora do crime, Amanda Cristina Carvalho, 24, foi presa por policiais militares da 27ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), em uma rua próximo ao local do crime.

A mulher foi conduzida inicialmente para o 6° Distrito Integrado de Polícia (DIP), a princípio, como tentativa de homicídio. Após ser confirmada a morte de Leda, Amanda foi apresentada na DEHS.

Em depoimento, Amanda confessou o crime e disse lembrar que desferiu apenas dois golpes de faca. A suspeita afirmou que Leda havia ordenado um homem a machucar o tio dela, idetificafo como Herison Carvalho, com um soco no olho.

Herison chegou a ter uma união estável, por quase um ano, com a cabeleireira. No entanto, Leda resolveu se separar após Herison ficar viciado em drogas.

Testemunhas

Conforme testemunhas ouvidas pela polícia, Amanda se armou de uma faca e foi até o encontro de Leda. Segundo relatos, ela estava inconformada e acompanhada de uma amiga, identificada como Valéria. Chegando ao local, Amanda passou a questionar se a cabeleireira estava satisfeita com agressão.

Sem entender, Leda se levantou e perguntou:  "satisfeita de quê"? Em seguida, Amanda desferiu os primeiros golpes no pescoço da vítima, que ainda foi derrubada com uma rasteira pela Valéria.

Após cair no chão, Amanda montou em cima da vítima e desferiu mais golpes de faca, sendo coxa, costas e tórax. Leda deixou três filhos, sendo dois meninos e uma menina.

Leda era natural de Manaus e não tinha antecedentes criminais. O corpo foi recolhido para o IML. O velório acontece ao longo desta sexta-feira, no mesmo bairro do crime, em local não informado pela família.

Mãe da suspeita

Rosária Carvalho Cruz, 41, disse ao A CRÍTICA  que um genro ligou avisando sobre uma briga, o qual a filha tinha ficado com o rosto machucado após ser agredido por populares. Ao fazer buscas, a mãe descobriu que Amanda já estava presa.

"A gente é julgada por algo que não fez.  Eu fiquei sabendo dessa situação, mas não estou defendendo a minha filha. Estou aqui para acompanhar o caso. Agora, ela vai ter que pagar pelas consequências. Eu peço perdão para a família da vítima, mas não compactuo com essas situações", disse Rosária.

Rosária informou que a Amanda é mãe de um casal de filhos, um menino de oito e uma menina de três anos. Ela responderá pelo crime de homicídio qualificado e será encaminhada à Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde aguardará à decisão da Justiça.

Rosária também confirmou que o irmão, Herison, faz uso de entorpecentes e estava separado da vítima após um ano de convivência.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.