Quinta-feira, 19 de Setembro de 2019
ROTINA CRUEL

Acidentes de trânsito com vítimas fatais viram rotina em Manaus

Na última segunda-feira (2), um acidente entre uma carreta e um carro chocou, novamente, a população manauara



acidente_035B8F59-F02F-4EE3-92D5-1A18992F8DD0.JPG Foto: Antônio Lima
06/09/2019 às 15:55

Um acidente que chocou mais uma vez a população de Manaus, foi o de segunda-feira (2) que envolveu uma carreta e um carro, por volta das 18h na Avenida General Rodrigo Otávio, esquina com a Base Aérea de Manaus (BAMN), no bairro São Lázaro, Zona Sul.

Dois dias após o ocorrido, nossa equipe voltou ao local para conversar com o empresário Rogee Arrais, 44, que teve parte de seu estabelecimento destruído quando o carro de passeio ficou preso entre o muro e o portão, juntamente com parte da carreta que pressionou o veículo contra a parede.

“Foi horrível. Eu estava no andar de cima com a minha família quando ouvi um barulho muito alto. Desci correndo e quando vi, me deparei com as pessoas pedindo ajuda”,  disse Arrais.

Acidentes são comuns

Segundo o empresário é comum acontecer acidentes na localidade. Em março, a aposentada Maria Alideia da Silva, 72, morreu após ser atropela por uma caminhão carreta, enquanto ela e a filha, que sobreviveu, atravessavam a Avenida voltando da padaria. 

“A minha sogra sempre deixa meus meninos brincarem de bola na garagem no final da tarde, já pensou se eles estivessem brincando na hora em que aconteceu o acidente? Hoje era eu que estaria chorando”, frisou Arrais.

O professor de Inglês,  Arlindo Tavares, 49,  morador do bairro  há mais de 20 anos,  informou que a imprudência é constante no local.

“O muro da Base Aérea já caiu várias vezes por conta de acidente com as carretas. É complicado para nós moradores e o que estamos solicitando é que seja instalado quebra-mola para diminuir a velocidade dos veículos pesados”, desabafou.

Entre os moradores, a solicitação por quebra-mola é unânime. Segundo eles, não existe prudência no trânsito, as carretas trafegam em alta velocidade e não respeitam a sinalização.

Os proprietários dos comércios próximo ao local  contam histórias sobre acidentes leves e grades que aconteceram.

Para Lucilo Reinilson, 29, proprietário de uma borracharia, é necessário a ação ostensiva dos órgãos competentes. 

“Isso é rotineiro. No dia do acidente pela manhã, uma carreta passou e quebrou uma árvore, que acabou atingindo um pedestre na perna. Na terça, realizamos uma manisfestação para solicitar que a Prefeitura de Manaus instale quebra-mola ou algum tipo de sinalização mais eficaz aqui. Na próxima segunda (9) às 16h30, vamos estar protestando novamente”, frisou Lucilo.

Próximo ao bairro existem três escolas e os estudantes precisam atravessar. “Ninguém quer atrapalhar o Pólo Industrial, apenas queremos segurança. É perigoso demais para as crianças, ninguém respeita as placas de velocidade”, desafabou o mecânico.  

A reportagem entrou em contato com o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), mas até o fechamento desta edição não recebemos resposta.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.