Publicidade
Manaus Hoje
POLÍCIA

Acusado de triplo homicídio em sítio na AM-240 é preso pela Polícia Civil

Segundo a polícia, homem de 21 anos é integrante do grupo Comando Vermelho (CV) e vai ser investigado por outros homicídios na capital 02/08/2018 às 11:12
Show drco
(Foto: Jander Robson/Freelancer)
Larissa Golvin Manaus (AM)

Edmar Pereira da Silva Neto, 21, conhecido como “Bity”, foi preso pela polícia acusado de participar de um triplo homicídio ocorrido no dia 18 de maio em um sítio na rodovia AM-240, no município de Presidente Figueiredo (a 126 quilômetros de Manaus). As vítimas seriam da facção criminosa Família do Norte (FDN), enquanto Edmar é apontado como integrante do grupo Comando Vermelho (CV).

Segundo a Polícia Civil, o crime deixou mortos Alexandre Campos Lemos, o “Alá”, de 37 anos, Eduardo Maquiné Pereira, de 48 anos, e Keystone Dionéa Maquiné Pereira, de 39 anos.

O homem foi preso pelas equipes do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) na noite dessa quarta-feira (1º) em uma embarcação que vinha do Careiro Castanho. Conforme o delegado titular do DRCO, Juan Valério, Edmar é ligado ao narcotraficante Gelson Carnaúba, o “Mano G”, e Clemilson dos Santos Farias, o “Tio Patinhas”.

Apesar de ter apenas 21 anos, a Polícia Civil afirma que Edmar é considerado um criminoso de alta periculosidade.

Além de “Bity”, outras três pessoas suspeitas de participação no crime também foram presas em outra ocasião: Alexsandro Campos da Costa,  43, o “Alex Padeiro” e Márcio Orlan Silva de Jesus, 27, conhecido como “Gordinho” e Adriel Sampaio Encarnação, 22, o vulgo “Cara de Pizza”.

As investigações para a prisão de outras onze pessoas que seguem foragidas vão continuar, são elas: Aguinaldo dos Santos Fonseca, o “Careca”; Bruno Silva Souza, o “soldado”; Menison Bezerra Gomes, conhecido como “Topete”; Robson, vulgo “Neguinho da Sesau”; Wesley Alexandre Duarte, “Mascote”; Roque de Castro Pinto Júnior, “Ponga”: Eliezer da Sesau; José Valdir de Souza Costa, e mais um que está identificado apenas como “Bode”. Outras duas pessoas não tiveram a identidade revelada.

Edmar vai ser investigado em participação e outros homicídios que aconteceram nos últimos dias em Manaus, e será indiciado por homicídio qualificado e organização criminosa. Ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Publicidade
Publicidade