Domingo, 15 de Dezembro de 2019
ATENTADO

Aluno ameaça cometer atentado dentro de escola pública no Nova Cidade

Por meio de uma rede social, um aluno ameaçou cometer o atentado contra outros alunos e professores da Escola Estadual Professor Roberto Vieira. Em nota, a Seduc informou que não houve qualquer ameaça presencial nas dependências da escola



WhatsApp_Image_2019-11-04_at_09.43.51_2BCFE001-03E4-4436-A3AA-09C878E637D6.jpeg Foto: Jair Araújo
04/11/2019 às 10:39

Uma postagem nas redes sociais informando que um adolescente de 17anos, ameaçava matar alunos da Escola Estadual Professor Roberto dos Santos Vieira, na Avenida Margarita, bairro Nova Cidade, Zona Norte, causou grande confusão na manhã desta segunda-feira (4). Pessoas desesperadas foram até a escola buscar seus filhos. Os alunos da escola foram liberados.

Na postagem, o estudante ameaçava realizar um atentado na instituição, relatou que iria fazer uma live nas redes sociais e mostraria o massacre ao vivo pela internet. Foi relatado na postagem que, primeiramente, iria contar sobre a própria vida e quando o sinal tocasse, ele iria até a sala que estuda e atiraria para todos os lados. Depois iria sair, e quem estivesse no corredor, ele iria matar.



Na segunda parte do texto, ele destaca que um amigo conseguiu uma arma e ele vai matar todos que fizeram mal a ele, pois não tem mais motivos para viver.

Segundo o tenente Joselho, da 15ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), a postagem alertou os policiais militares que no início da manhã de hoje foram até a escola e permaneceram no local com 4 viaturas para garantir a ordem e manter a segurança.

O tenente Joselho disse que a ordem do comando é que a polícia permaneça no local para garantir a segurança. O tenente contou que a direção informou que o fato não passa de "fake news" e pediu para que os pais ficassem tranquilos.

Assustados

Vanda, de 68 anos, foi a escola buscar sua neta de 16 anos. Ela contou que o menino seria um estudante do turno da tarde e, ao saber da ameaça, foi até a escola buscar a neta.

Joaquin Lima, de 44 anos, informou que sua filha de 15 anos ligou para ele no início da manhã. Ela estava chorando e contou que um menino estava ameaçando ir à escola e matar todo mundo. Ele, que estava indo trabalhar, retornou ao bairro e foi até a instituição. Quando Joaquin chegou ao local, vários pais estavam na porta do colégio. Quando a portão foi aberto, vários pais entraram desesperados dizendo que iam buscar seus filhos.

Por volta das 9h, pais saíam da escola e relatavam que o local não era seguro e por isso iriam levar seus filhos para suas casas. Por volta das 9h30, todos os alunos da escola foram liberados. Um aluno contou que eles tiveram apenas 3 dos 5 tempos de aula e foram liberados, mas não foram informados sobre o motivo da liberação.

Um homem de 72 anos, que não quis se identificar, disse que a área era perigosa, pois no últimos anos, várias invasões ocuparam as redondezas e que o tráfico tomou conta do local. Por conta disso, eles se sente inseguros.

Posicionamento

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc) informou que não houve qualquer ameaça presencial nas dependências da escola e, conforme a declaração da secretaria, “está investigando a denúncia da ameaça por meio da rede social para mais esclarecimentos”.

“Desde o início do dia, quando tomou conhecimento de ameaças feitas por uma rede social, a Coordenação de Segurança e a Coordenadoria Distrital da secretaria acionaram a 15ª Cicom que, desde as 5h da manhã, está com o policiamento ostensivo na área da escola”, diz trecho do documento.

News mark 33e2e16a 10de 400f 92c3 ec9d554e6edf
Repórter de A CRÍTICA

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.