Publicidade
Manaus Hoje
EXECUTADO

Chefe do tráfico de drogas no Mauazinho é executado na saída de baile funk

Considerado sucessor do narcotraficante “João Branco”, líder da facção FDN, Melkzedek, 33, o “Melk”, foi cercado por homens armados, que efetuaram diversos disparos 23/09/2018 às 11:27 - Atualizado em 23/09/2018 às 15:21
Show show melk 77eec60b bc44 4ba1 8fb1 e652ea0115c3
Foto: Arquivo A Crítica
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Apontado como chefe do tráfico de drogas no bairro Mauazinho, na Zona Leste de Manaus, Melkzedek Monteiro de Oliveira, 33, o “Melk”, foi executado na madrugada deste domingo (23) na capital amazonense. Considerado sucessor do narcotraficante João Pinto Carioca, o “João Branco”, líder da facção criminosa Família do Norte (FDN), “Melk”, foi cercado por homens armados, que efetuaram diversos disparos. Outros dois homens não identificados foram baleados e sobreviveram.

De acordo com a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), “Melk” estava em um baile funk na avenida Rio Negro, no bairro Mauazinho, quando saiu do estabelecimento para ir até o carro dele, que estava estacionado na via pública, para pegar dinheiro. No momento em que ele entrava no carro, “Melk” foi cercado por homens armados que desceram de outros veículos e efetuaram diversos disparos.

A Polícia Civil não soube informar a quantidade de tiros que atingiram “Melk”, mas segundo informações de testemunhas cerca de 30 tiros foram efetuados. Ele ainda foi socorrido e levado para o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na Zona Leste, mas não resistiu aos ferimentos. O corpo de “Melk” foi removido pelo Instituto Médico Legal (IML). O caso segue investigado pela DEHS e até agora ninguém foi preso.

Longa ficha criminal

Melkzedek Monteiro de Oliveira, 33, o “Melk”, possuía longa ficha na polícia. Ele havia sido preso pela Polícia Militar em 2011, junto da mãe dele, durante um velório de outro traficante morto no Mauazinho. Na ocasião, a PM encontrou com ele um revólver calibre 38 e porções de droga. Na época, ele já era considerado um dos principais comandantes do tráfico no Mauazinho e respondia judicialmente por um crime de homicídio ocorrido em 2007.

Em 2013 “Melk” voltou a ser preso por mandado judicial devido a um homicídio cometido contra Fabrício Nascimento de Souza, ocorrido em março daquele ano. Ele já estava sendo investigado por outros três homicídios, todos ocorridos no Mauazinho.

Em 2016 “Melk” também foi preso, desta vez durante uma operação deflagrada por policiais da Secretaria Executiva Adjunta de Operações (Seai). Na época da prisão, o delegado Mário Paulo Teles chegou a afirmar que “Melk” recebia ordens diretas de “João Branco”, mesmo o líder da FDN estando preso na Penitenciaria Federal de Catanduvas, no estado do Paraná, onde até hoje continua encarcerado.

Publicidade
Publicidade