Publicidade
Manaus Hoje
ARMAMENTO

Armamento de guerra apreendido, seria usado pelo crime organizado em Manaus

De acordo com o major Klinger Paiva, as investigações constataram que as armas apreendidas seriam usadas para desestabilizar o sistema, assim como no resgate de presos, fuga e inclusive em ameaças ao secretário da Seap, Pedro Florêncio 18/06/2016 às 10:48 - Atualizado em 18/06/2016 às 10:50
Show pres
O empresário e enfermeiro Adonis Ferreira Magalhães foi presos com dois fuzis (Foto: Clóvis Miranda)
Joana Queiroz Manaus (AM)

Foi apresentado na manhã deste sábado (18), na Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), o empresário e enfermeiro Adonis Ferreira Magalhães ,37, que foi preso na noite desta sexta-feira (17), com dois fuzis e 52 projéteis.

A prisão se deu após investigação do departamento de inteligência da Secretária de Estado de Administração Penitenciária (Seap), liderada pelo major Klinger Paiva, que após comprovar a denúncia contou com o apoio da Derfd para realizar a prisão.

O empresário foi abordado por policiais da Derfd enquanto estava em seu veículo, um carro modelo Strada cor preta placas OAB 3241, no Núcleo 10 do bairro Cidade Nova 2.

Os dois fuzis modelo Couti 556 SLG de fabricação colombiana possuem a numeração raspada e segundo o empresário foram comprados por 8 mil reais e foram trazidas do município de Santo Antonio do Içá.

As armas foram adquiridos pelo preço 8 mil reais. Em depoimento ele afirmou que comprou as armas para usar em caçadas.  O celular e o veículo do empresário também foram apreendidos.

De acordo com o major Klinger, as investigações constataram que as armas apreendidas seriam usadas para desestabilizar o sistema, assim como no resgate de presos, fuga e inclusive em ameaças ao secretário da Seap, Pedro Florêncio.

O delegado da Derfd Adriano Félix ressaltou que os fuzis serviriam ainda para realizar assaltos a bancos e carros fortes.

Adonis Magalhães responderá na justiça pelos crimes de porte ilegal de armas de fogo de uso restrito. Após os procedimentos ele será encaminhado para a Cadeira Publica Raimundo Vidal Pessoa e os armamentos serão periciados pela Polícia Federal e pelo Exército.

Publicidade
Publicidade