Publicidade
Manaus Hoje
SUSPEITO

Assassino de cabeleireiro é preso no município de Careiro da Várzea

Diego Sabino de Araújo, vulgo “Coqueirinho”, aparece em imagens executando a tiros dentro de salão de beleza João Felipe de Oliveira Martins, 22, no último dia 30 de agosto 11/09/2017 às 20:35 - Atualizado em 12/09/2017 às 12:59
Show cara
Foto: Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

A Polícia Civil do Amazonas prendeu na tarde desta segunda-feira (11) Diego Sabino de Araújo, vulgo “Coqueirinho”, na comunidade Paraná do Parauá, no município de Careiro da Várzea, distante 25 quilômetros de Manaus. Diego é o homem que aparece executando a tiros o cabeleireiro e maquiador João Felipe de Oliveira Martins, 22, no último dia 30 de agosto em um salão de beleza localizado no conjunto Vieiralves, no bairro N. S. das Graças, na Zona Centro de Sul da capital.

A informação da prisão de Diego foi confirmada pelos delegados Juan Valério, titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que investiga o caso; e David Jordão, titular da 35ª Delegacia de Careiro da Várzea, que também participou da operação de captura, juntamente com policiais da DEHS e da Delegacia Especializada em Capturas e Polinter (DECP).

À reportagem, Juan Valério informou que o desembarque com Diego será na noite de hoje na Delegacia Fluvial (Deflu), no Centro de Manaus, mas somente na quarta-feira (13) ele será apresentado à imprensa.

O crime

O cabeleireiro e maquiador João Felipe foi morto com quatro tiros por volta das 15h45 do dia 30 de agosto deste ano, dentro do salão onde trabalhava, o Sempre Bella, localizado na rua Rio Tarauacá, bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul da capital. A vítima foi surpreendida pelo atirador “Diego Olhão”, que correu em direção a Felipe e efetuou os disparos à queima-roupa nas regiões da cabeça, peito, braço, mão e perna.

O atirador entrou no estabelecimento acompanhado de Gessica, que se fingiu de cliente. Após os disparos, os dois fugiram, mas tudo foi registrado por câmeras de segurança que ajudaram a polícia nas investigações. O crime aconteceu enquanto o salão de beleza funcionava, na presença de funcionários e clientes.

Publicidade
Publicidade