Publicidade
Manaus Hoje
CRIME

Bandidos invadem comércio na AM 010 e agridem proprietário

Quadrilhas assaltam vários comércios à beira da rodovia, agridem as vítimas, levam o que podem e ainda são ousados 15/06/2015 às 08:00 - Atualizado em 25/03/2017 às 12:17
Show 4654
Bandidos invadiram o Empório 45, espancaram o proprietário e ainda aproveitaram para comer o jantar da família (Foto: Gilson Mello/Freelancer)
Joana Queiroz Manaus (AM)

Chácaras, sítios, granjas e estabelecimentos comerciais ao longo da rodovia AM-010 (que liga Manaus ao município de Itacoatiara) são alvo de ataques de quadrilhas especializadas em roubo, formada por homens violentos que espancam as vítimas para que elas entreguem dinheiro e objetos de valores. Nos dois últimos meses foram mais de quatro assaltos, dois deles num mesmo estabelecimento, no intervalo de 36 horas. Os donos do local já pensam em ir morar em outro estado.

Eram por volta de 7h do último sábado, quando o comerciante Paulo Navarro, 52, estava abrindo o seu estabelecimento comercial Empório 45, no km 45 da AM-010 quando apareceram quatro homens, um deles vestido de preto semelhante a um ninja conforme informações do proprietário. Ele a mulher foram rendidos enquanto os filhos ainda dormiam e tiveram as porta dos quartos arrombadas pelos criminosos. Os ladrões queriam dinheiro e diziam que tinham informações que ele guardava certa quantia na casa.

Paulo disse que não tinha dinheiro em casa, mas a desculpa não convenceu os ladrões que passaram a espancá-lo com coronhadas. O proprietário apanhou também por ser deficiente auditivo e não ouvir a determinação dos criminosos. Os ladrões ficaram na casa por mais de cinco minutos e depois fugiram levando dinheiro, celulares, notebook, tela de plasma e o carro da família, uma picape Strada.

A mulher do comerciante Gleydis Alves Lopes, 47, ficou assustada e abalada emocionalmente. Ela disse que a polícia foi acionada, mas não demonstrou muito interesse pelo caso. “Tentei dormir à noite, mas não consegui achando que os ladrões iam voltar”, disse a mulher. Ela destacou que não foi espancada, mas foi obrigada a ficar com a cabeça abaixada e chegou a passar mal com pressão alta e acabou medicada pelos criminosos.

De acordo com Gleydis, no último domingo, às 19h, os filhos chegavam com amigos quando apareceram quatro criminosos anunciando o assalto. “Parecia brincadeira, mas mais uma vez estávamos sendo assaltados”, contou. Toda família foi rendida, o marido espancado na frente do filho de 11 anos. Revoltada, a criança ainda investiu contra os ladrões para defender o pai. Toda família foi feita refém. Eles foram colocados em um quarto enquanto os ladrões reviravam a casa a procura de dinheiro e objetos de valores.

Insegurança

As pessoas que foram vítimas de assaltos disseram que se sentem impotentes e desprotegidas, pois os Distritos Integrados de Polícia (DIPs) e Companhias Integradas de Polícia (Cicoms) ficam a mais de 40 quilômetros de distância.

No dia 13 de maio, a Rocam prendeu uma quadrilha especializada em roubos de sítios e estabelecimentos comerciais na rodovia AM-010. O bando era formado por os foragidos da Justiça, Elias de Sousa Rodrigues, 32, e Daniel de Sousa, 35, além Túlio Nogueira da Silva, 19, e Suely Cordeiro de Lima, 36. Eles foram abordados em frente a uma residência, no ramal da Cachoeira do Leão, no quilômetro 37, onde combinavam mais um roubo que iria ser praticado. De acordo com a Polícia Civil, o alvo era um estabelecimento comercial no quilômetro 45 da AM-010.

Famílias estão amedrontadas

Durante o assalto no Empório 45, os criminosos não só roubaram, mas também comeram toda a comida do jantar. A esposa do comerciante, Gleydis Alves Lopes, 47, disse que tinha preparado uma galinhada e que os criminosos levaram a panela para cima de uma mesa na frente da casa, jantaram, tomaram iogurte e ainda reclamaram que não tinha refrigerante gelado na geladeira. Depois do jantar os criminosos foram embora levando o resto das coisas que a primeira quadrilha não levou no dia anterior.

Gleydis disse que o prejuízo foi de mais de 20 mil. “Eu quero ir embora para Goiânia, não me sinto segura morando aqui. Quero pedir ao secretário de segurança que tome alguma providência. Nós estamos reféns dos bandidos. As coisas acontecem e ninguém faz nada”, desabafou a mulher.

Há dois meses a granja de propriedade de um homem identificado como Yutako foi invadida por ladrões, segundo informações de os vizinhos. Os ladrões chegaram dizendo que tinham a informação que ele guardava R$ 30 mil, mas Yutako só tinha R$ 5 mil. Ele foi espancado para dizer onde estava o resto do dinheiro.

Publicidade
Publicidade