Publicidade
Manaus Hoje
detentos e detentas também

Casais celebraram o matrimônio dentro Unidade Prisional do Puraquequara

O fato do casamento ter sido realizado em uma prisão não deixou a desejar no quesito romantismo e tradição. Teve de tudo: de vestido de noiva e buquê a lua de mel 07/04/2016 às 21:14
Kamyla Gomes Manaus (AM)

"Em nome da lei eu os declaro casados". A frase tão esperada por casais apaixonados foi ouvida nesta quinta-feira (7) durante um casamento coletivo. Esse tipo de cerimônia coletiva já não é uma novidade em Manaus, mas essa surpreende por ter sido realizado dentro de um presídio. E nem por isso deixou a desejar no quesito romantismo e tradição. Teve de tudo: de vestido de noiva e buquê a lua de mel.

Dezoito casais celebraram o matrimônio na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP). O evento foi marcado por fortes emoções e grande ansiedade para os noivos e noivas.

Sob forte expectativa enquanto se arrumavam, as noivas declararam para a equipe de reportagem a ansiedade do dia tão esperado. Mesmo com a maquiagem feita, cabelo pronto, vestido bonito e todas arrumadas, a vontade de ouvir o "sim" sonhado tomava conta das mulheres.

Esperando e já sonhando com o marido fora da cadeia, a estudante Mayara Soares, de 20 anos, relatou que o conheceu durante uma visita na cadeia. “Eu fui visitar meu irmão quando me deparei com ele, e então nos gostamos logo de cara. A ideia de casar também foi minha, e ele aceitou”, disse.

Seu marido, o Rafael Cardoso de Souza, de 26 anos, que está preso há 4 anos e 3 meses respondendo pelo crime de tráfico de drogas, contou que após o casamento, sonha em ter filhos com Mayara.

“Daqui pra frente só será felicidade, e temos outros planos para nós, que é de ter filhos”, declarou.

Após a cerimônia, que teve início às 15h, a dona de casa Maria (nome fictício), pediu para cantar uma canção na frente de todos, em comemoração a felicidade dela e do marido Rodrigo Rodrigues Pinheiro, que cumpre pena por roubo.

Após a canção e louvor, a dona de casa e seu marido conversaram com a reportagem e disseram o quanto estavam felizes e as dificuldades enfrentadas no relacionamento que já dura há sete anos.

Ela já havia sido presa por tráfico e espera o marido para que possam aumentar a família em breve.

Outro casal, dessa vez de um detento e uma detenta também se tornaram marido e mulher, e se emocionaram. A maioria dos rapazes cumpria pena por tráfico, homicídio, furto e roubo. Eles declaram seu final feliz e começo de nova história.

Depois da festa rolou a intimidade nas celas para casais

“Disponibilizamos um espaço para o prazer sexual deles, para a tranquilidade de todos”, disse a secretária Graça Soares, da Secretaria de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), explicando que os casais terão direito a lua de mel em celas íntimas  e decoradas para a eles aproveitarem o grande e esperado momento.

Graça contou também sua emoção  pelo casamento e também deu seus votos de felicidades. “Que eles firmem esse compromisso e que Deus cubra essa relação com muito amor”, contou acrescentando que todos tem o direito a uma nova chance para ser feliz.

Os convidados presentes na ocasião também declararam estar felizes pelos novos casais. Eles relataram que apesar da situação dos presos, o que importa é o amor que prevalece, mesmo atrás das grades, pois elas acreditam na mudança daqui para frente.

Publicidade
Publicidade