Sexta-feira, 03 de Julho de 2020
PRISÃO

Casal é preso suspeito de participação em pelo menos dois homicídios em Manaus

Dois dos crimes foram cometidos com participação de ambos, segundo a polícia, enquanto Raimundo Joilson Santos Azevedo Júnior, o 'Jóia', teria cometido outro crime em janeiro, sem a participação da companheira



WhatsApp_Image_2020-06-01_at_15.37.14_35B8ADB2-1603-4456-ACFD-026E3826694F.jpeg
01/06/2020 às 15:59

Raimundo Joilson Santos Azevedo Júnior, conhecido como “Jóia”, e a companheira dele, Ana Paula da Silva Ferreira, foram presos neste domingo (31), no bairro Mutirão, Zona Norte da capital, suspeitos de cometer homicídios em Manaus. Após matar o proprietário de um carro, “Jóia” utilizou um site de vendas de veículos para atrair novas vítimas. 

O primeiro homicídio ocorreu em janeiro deste ano, enquanto que o segundo e terceiro, em março. De acordo com o delegado Torquato Mozer, titular do 30° Distrito Integrado de Polícia (DIP), “Jóia” morava de favor na casa de um homem identificado apenas como “Nonô”, que era proprietário de um carro prata, Celta. Em dada ocasião, Jóia vendeu uma motocicleta de Nonô sem autorização. 



A partir daí, Nonô começou a ameaçar Jóia, afirmando que contaria à polícia a respeito de um homicídio cometido por ele  em janeiro deste ano, caso Joilson não devolvesse a motocicleta a ele. 

“Certo dia, Nonô encontrou Jóia na avenida Mirra, no Jorge Teixeira, onde ele o convidou a entrar no seu carro para que os mesmos conversassem”, disse Torquato.

Na ocasião, os dois se dirigiram ao ramal do Brasileirinho, onde Jóia aplicou uma “gravata” em Nonô, matando-o, conforme a autoridade policial. 

Terceiro homicídio 

Ao assumir posse do carro de Nonô, Jóia decidiu vendê-lo em um site de venda de veículos. 

Ao encontrar um interessado no município de Presidente Figueiredo, distante 117 quilômetros em linha reta de Manaus, Jóia levou o carro até a cidade e finalizou a negociação do veículo, deixando pendentes apenas questões relacionadas à documentação do carro, que ficou com o novo proprietário, em Presidente Figueiredo. 

“Em um dia posterior, [o novo dono ] do veículo vem a Manaus, mais precisamente   à bola do Jorge Teixeira”, disse Torquato. 

O novo proprietário havia marcado de se encontrar com Jóia no bairro Jorge Teixeira por não conhecer Manaus o suficiente para se direcionar diretamente ao cartório.

Quando o comprador, acompanhado de um amigo, chegaram no bairro, Jóia entrou no carro pela porta de trás e começou a direcionar o motorista do veículo ao ramal do Brasileirinho, ludibriando a dupla de vítimas, que imaginava que estava seguindo ao cartório. 

“No ramal do Brasileirinho, em um local afastado, sem sinal de celular, Jóia desferiu um tiro no pescoço da vítima”, relatou Mozer. 

Em dado momento, Joilson saiu do carro e retirou o corpo da vítima, que estava agonizando, e o jogou no ramal. O outro homem aproveitou, então, para fugir, saindo do local com o veículo. 

Essa testemunha compareceu ao 30° DIP para prestar esclarecimentos à polícia sobre o ocorrido.

Prisão de Jóia 

A partir daí, a polícia iniciou o processo de identificação do suspeito. Ao prosseguirem no caso, os policiais descobriram que as negociações do carro eram feitas com cadastros em nome da companheira de Jóia, Ana Paula, que esteve presente na negociação realizada em Presidente Figueiredo.

Conforme Torquato, acredita-se que Ana Paula teve participação efetiva nos dois homicídios ocorridos em maio, o de Nonô e o do proprietário de Presidente Figueiredo. 

Em depoimento, Jóia confessou à polícia o homicídio cometido em janeiro, pelo qual foi ameaçado por Nonô. 

Joilson responderá por três homicídios, enquanto que Ana Paula, pela participação nos dois realizados em março.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.