Publicidade
Manaus Hoje
CRIME PASSIONAL

Casal preso por homicídio passional em Manaus troca beijos em delegacia

Os dois são acusados de participarem do assassinato de um primo, em março de 2018, que segundo a polícia enganava duas amantes de uma mesma igreja 14/01/2019 às 11:54 - Atualizado em 14/01/2019 às 11:59
Show ad3e2a21 f2aa 4cb8 b3a9 b9e1c49e8a8d 2c706f0d f88d 4043 8a6b 8a7c4bb011ad
Foto: Jander Robson
Márcia Monteiro Manaus (AM)

O casal Silvane Ribeiro da Silva, 26, e Ítalo Amaral Pinho, 34, foi preso pela Polícia Civil do Amazonas, em Manaus, suspeito de envolvimento em um crime passional ocorrido em março de 2018, que vitimou Wallace de Souza Batista, 32, conhecido como “Preto”, primo de Silvane. Nesta segunda-feira (14), Silvane e Ítalo trocaram beijos e declarações de amor na delegacia.

Segundo a polícia, os dois são suspeitos de participarem do assassinato de Wallace, primo de Silvane, junto com outro casal, que já foi preso. A vítima foi morta por espancamento e a terçadadas no dia 22 de março do ano passado em um terreno de areal no conjunto Industriário, bairro Coroado, Zona Leste.


Silvane e Ítalo em coletiva de imprensa (Foto: Jander Robson)

De acordo com o delegado Charles Araújo, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o crime tem motivações passionais. A vítima, Wallace, estaria tendo dois casos amorosos e enganando duas mulheres diferentes pertencentes à mesma igreja. Uma dessas mulheres é a prima, Silvane ,e a outra seria Jessica Anaqueri Azevedo, 24, já presa.

Segundo a polícia, as duas eram casadas, mas mantinham o relacionamento extraconjugal com Wallace, sem saber uma da existência da outra. Silvane era casada com Ítalo e Jessica casada Daniel Mariano da Silva, 30, outro primo de Wallace, que já foi preso pelo crime. Daniel, inclusive, era pastor da igreja em que todos frequentavam e Jessica era missionária.

Mesmo comprometidas, as duas mulheres eram amantes de Wallace. Conforme o delegado, quando elas descobriram que estavam sendo enganadas pelo amante-primo, as duas, enciumadas, contaram tudo aos maridos e todos se juntaram para se vingar e arquitetar o crime.

As mulheres, de acordo com o delegado Charles Araújo, teriam ligado para Wallace e armado uma armadilha. Elas marcaram com ele um encontro em local onde aconteciam os cultos da igreja. Chegando ao endereço combinado, uma área de mata, Wallace foi surpreendido por Daniel e Ítalo, que o espancaram e o esfaquearam até a morte.

Conforme a polícia, duas testemunhas chegaram a ver a ação criminosa, mas foram informadas pelos assassinos que Wallace era um ladrão e que “ladrão tinha que morrer”. Na época do assassinato, familiares de Wallace disseram que o mesmo estava até jurado de morte pela prima Silvane.

Daniel e Jessica presos em junho de 2018 (Foto: Jander Robson)

‘Tem que morrer’

Daniel e Jessica foram presos em junho do ano passado e Ítalo e Silvane foram capturados no último dia 4 de janeiro, mas apresentados hoje (13) na delegacia. Durante entrevista com a imprensa, Ítalo disse que matou Wallace porque “talarico tem que morrer”. Ele disse ainda que Wallace já teria tentado estuprar a enteada dele e que esse seria outro motivo para o homicídio.

Já Silvane contou que a intenção era apenas “dar uma surra na vítima” e que a prisão dela e de Ítalo não irá separá-los. Os dois foram indiciados por homicídio qualificado e ficarão à disposição da Justiça em presídios localizados no Km 8 da rodovia BR 174.

Publicidade
Publicidade