Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019
Todos julgados

Caso Marcelaine Schumann: vidas cruzadas em meio a amor e ódio

Traição, triângulo amoroso, tentativa de homicídio, prisão... e condenação. Quem são os personagens envolvidos nessa trama?



HGJGJHHGJGJG.JPG Fotos: Aguilar Abecassis
05/06/2016 às 16:17

“O caminho da mulher adúltera é assim: ela come, depois limpa a sua boca e diz: ‘Não fiz nada de mal’”. Com esse texto do livro dos Provérbios, o promotor de justiça Rogério Marques iniciou o debate de acusação durante o julgamento da tentativa de homicídio da bacharel em direito Denise Almeida ocorrido no dia 12 de Novembro de 2014, no estacionamento da academia Cheik Clube, na avenida Getúlio Vargas, Centro, que de certa forma mudou  diretamente a vida de sete pessoas. 

O promotor fazia referência ao relacionamento, de acordo com ele, adúltero, que a principal ré do caso, a empresária Marcelaine Santos Schumann mantinha com o empresário Marcos Luis Cid Souto, pivô do crime que também mantinha um relacionamento amoroso com Denise, os dois últimos casados e com filhos. “Eles são todos iguais. A diferença é que Marcelaine fez do triângulo amoroso um motivo para matar. Marcelaine fez as suas próprias regras desprezando os padrões normais”, disse o promotor.

De acordo com o promotor, a empresária estava com a consciência cauterizada e também perdeu a moral, a partir do momento que ela, mesmo mantendo um relacionamento estável de 30 anos com o empresário Edmar Costa, considerava Marcos como seu companheiro e não aceitou a intervenção de outra mulher e, portanto decidiu, de uma forma criminosa, tirar Denise do caminho dos dois.

Quem é Marcelaine?

A agente de comércio Lígia Chamam, 28, irmã caçula de Marcelaine, assistiu ao julgamento sentada na primeira fileira de cadeiras do plenário do Tribunal do Júri. Ao longo da sessão ela não tirava o olho da irmã e chorava a cada acusação. Quando viu que a irmã estava nervosa,  forneceu comprimidos de calmantes e no final ela falou com exclusividade para A CRÍTICA sobre a irmã.

Lígia destacou  que mora na Itália e que está há cinco meses em Manaus só para acompanhar a irmã. “Deixei o meu trabalho, o meu marido e as minhas coisas para cuidar dela. Ela é muito importante para mim”, disse. Ligia frisou que visita a irmã na cadeia e que Marcelaine demonstrava tranquilidade.

De acordo com a irmã, Marcelaine nunca pede que ela leve nada, mas nos dias de visita, a irmã caçula procura levar a comida caseira que é a preferida de Marcelaine. “Minha irmã é uma pessoa simples e fica contente com tudo. Ela é muito especial para mim”, revelou ao acrescentar que elas têm como hobby viajar, gosta de estar em família e quando isso acontece, é só alegria. “Somos felizes”, desabafa.

Lígia disse que a irmã foi condenada sem provas e que ela não matou ninguém. Mas que Marcelaine já tem planos para quando terminar de cumprir a pena. Enquanto isso, vai continuar administrando a sua empresa de equipamentos náuticos na Zona Leste e vai fazer um curso superior. “Ela vai se superar”, finalizou a irmã.

Os personagens

MARCELAINE

Marcelaine Schumann é considerada uma mulher muito vaidosa e que por ciúmes planejou a morte de sua rival, Denise Almeida. Mesmo quando presa pela Polícia Federal, na cadeia e vestindo uniforme de presidiária, ela não deixou de ser “diva”. Paro ir ao julgamento, a defesa dela pedia para que ela comparecesse com roupas normais, sem o uniforme da cadeia, o que foi liberado. Vestindo uma blusa branca, calça jeans e sapatos pretos de salto, ela chegou a passar cinco minutos no banheiro se arrumando para entrar em plenário.

 

MARCOS SOUTO

Marcos Souto, empresário do ramo de móveis, bem casado e pai de filhos, antes da tentativa de homicídio, esbanjava charme e era considerado um conquistador e depois passou a ser chamado de “Gostosão” e de “Traste” pelo advogado Eguinaldo Moura. Chegou a ser preso por ter mentido em depoimento. Em seu interrogatório estava desarrumado, mal vestido e com a barba e cabelo desalinhados. Confessou ser amante de Denise e Marcelaine, disse  que ama a esposa, que estava arrependido e chegou a chorar.

 

DENISE ALMEIDA

A bacharel em direito Denise Almeida negou ser amante de Marcos Souto dizendo que eram apenas amigos. Ela é casada com o advogado Erivelton Ferreira. Inicialmente tinha uma filha, mas depois do ocorrido teve outro filho. Para ela, era  Marcelaine quem  infernizava a sua vida com a do seu marido. Ela contou que no dia do crime saía da academia quando ouviu os disparos. “Eu estava olhando o celular e de repente senti algo quente na minha nuca e dei ré no meu carro”. Denise chorou  ao ver as imagens do momento que foi  alvejada por Rafael.

 

ERIVELTON FERREIRA

O advogado Erivelton Ferreira é um advogado bem sucedido, é proprietário de uma banca de advocacia trabalhista no Vieiralves. Sempre esteve ao lado da esposa, mesmo sabendo que ela o traía com Marcos, chegou a flagrar os dois dentro do carro do empresário. Depois de tudo isso, ele manteve o casamento e até  engravidou Denise. Marcos Souto disse que foi abordado várias vezes por Erivelton  e, em uma dessas, o marido de Denise perguntou por que ele não deixava de perseguir a sua mulher.

 

EDNEY COSTA

Edney Costa era vigilante antes de ser preso. Ele foi o único do grupo a receber absolvição por ausência de provas de envolvimento no crime e deixou o plenário abraçado  por familiares. Ele teria feito a intermediação entre Marcelaine, Charles Mac Donald e Rafael, o “Salsicha”, que  teriam agido movidos pela promessa de pagamento  feito por Marcelaine. Durante o julgamento, Edney demonstrou tranquilidade e durante o interrogatório ele alegou que não sabia da intenção de Mac Donald de matar Denise. Edney não falou o que faria da sua vida.

 

MAC DONALD

Charles Mac Donald é bacharel em administração de empresa e trabalhava em uma agência bancária quando conheceu Marcelaine. Tornaram-se amigos ao ponto de ela confidenciar suas intimidades com ele e também o desejo que tinha em dar um “jeito” em Denise pelo fato de ter um caso amoroso  com o seu amante, Marcos Souto.  Ele também teria recebido R$ 40 mil emprestado dela para tratamento de saúde. Mac Donald consegue se expressar muito bem e  durante o interrogatório ousou em alguns momentos interpelar o promotor fazendo a sua própria defesa. Ele foi condenado a 9 anos e 8 meses, que inicialmente serão cumpridos em regime fechado.

 

KAREN AREVALO

A babá Karen Arevalo foi condenada  a 7 anos e 8 meses de prisão por ter contratado pistoleiros para executar ou deixar aleijada Denise Almeida. Em Março do ano passado chegou ser colocada em liberdade vigiada, por meio de tornozeleira eletrônica, mas por várias vezes teria violado as normas de monitoramento e voltou para a cadeia. Durante o julgamento, seus advogados tentaram  convencer os jurados que ela teve pequena participação no crime e que não sabia para que fim seria usada a arma que  emprestou para Rafael Leal.  Ela vai cumprir pena em regime semiaberto podendo sair para trabalhar durante o dia e retornando à noite para dormir na cadeia.

 

SALSICHA

Rafael Leal autor confesso de ter disparado três tiros contra a cabeça de Denise. Disse que foi convidado por Mac Donald e que só aceitou fazer o “serviço” porque devia favores para ele. Foi condenado a 9 anos e 8 meses de prisão em regime fechado. Antes de ser preso, trabalhava como serviços gerais.  Durante o interrogatório negou ter atirado para matar a vítima e que queria apenas dar um “susto” nela. No final do ano passado foram interceptados escritos dele  que  convidava  Karen para extorquirem Marcelaine. E exigia que ela pagasse o restante dos R$ 7 mil, que seria R$ 5 mil. “Caso contrário, o bicho vai pegar”, diz no bilhete. Ele também planejava pegar o dinheiro da empresária e sair da cadeia rapidamente.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.