Publicidade
Manaus Hoje
Falsa vidente

'Cigana' é presa por furtar objetos de clientes durante consultas em Manaus

Nathalie Tairovich pedia para as vítimas colocarem os objetos dentro de um pano branco e prometia duplicá-los, mas em seguida ela fugia com os pertences 17/10/2016 às 20:13 - Atualizado em 17/10/2016 às 20:13
Show acigana01
Suspeita já responde a processos por estelionato. Foto: Divulgação
Kamyla Gomes Manaus

Suspeita de furtar vítimas durante serviços de vidência no Centro da cidade, uma mulher identificada como Nathalie Tairovich, 48, conhecida como “Cigana”, foi presa nesta segunda-feira (17), nas dependências do 1° Distrito Integrado de Polícia (DIP) em cumprimento a mandado de prisão pelo crime de furto mediante fraude. 

De acordo com a Polícia Civil, a suspeita já responde a processos por estelionato. A delegada titular do 1° DIP, Fernanda Antonucci informou que algumas vítimas procuraram a equipe do Distrito para formalizar as denúncias contra "Cigana". 

“Os clientes argumentaram que a mulher pedia que eles colocassem objetos de valor dentro de um pano branco, para que fossem duplicados, e em seguida fugia com os pertences”, disse a delegada.

Ainda segundo a autoridade policial, ‘Cigana’ solicitava diversos objetos de valores das suas vítimas. “Ela pedia dinheiro, celulares e relógios das vítimas. Posteriormente ela pedia aos clientes para fecharem os olhos. Em seguida, Nathalie dizia palavras aleatórias e implorava a entidades religiosas que duplicassem o que estava dentro do pano”, explicou.

Neste momento, a criminosa aproveitava a distração das vítimas. “Ela trocava o pano por outro cheio de papéis. Então ela envolvia as pessoas em uma conversa e as orientava a abrir os olhos após 30 minutos, tempo que ela aproveitava para fugir do local com os pertences das vítimas”, detalhou a delegada.

Nathalie foi indiciada por furto mediante fraude. Ao término dos procedimentos legais no prédio da unidade policial, ela foi encaminhada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

 

Publicidade
Publicidade