Publicidade
Manaus Hoje
Operação sustentáculo

Cinco condenados por crimes sexuais contra crianças e adolescentes são presos

Homens foram detidos durante a operação 'Sustentáculo'. Eles serão encaminhados para cumprir pena no regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) 05/07/2016 às 14:45
Show fhggfhfghfghfghgf
Foto: Winnetou Almeida
Joana Queiroz Manaus (AM)

A  Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca),  deflagrou operação "Sustentáculo"  para dar cumprimento a mandados de prisões de pessoas condenadas por envolvimento em crimes contra a integridade sexual de crianças e adolescentes. Cinco pessoas foram presas e serão encaminhadas para o regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), no Km 8 da BR-174, em Manaus.

A operação começou por volta das 17h de segunda-feira (4) e encerrou  por volta das 9h de hoje (5) com a prisão de cinco condenados. 

O gari Rondileny Carmo da Silva, 38, o operador de máquinas Paulinho Torres da Silva, 50, o aposentado Ágno Carvalho, 72, o taxista Egil Estávora Campos de Leão, 43, e o aposentado Antônio Mota da Cunha, 44, foram apresentado a imprensa na manhã de hoje na Delegacia Geral.

Rondinely e Ágno confessaram ter mantido relações sexuais com as vítimas e alegaram que foi de comum acordo. O primeiro disse que, na época em ocorreu o crime, eles namoravam e que aconteceu naturalmente. Ágno disse que teve um caso com a mãe da adolescente, que lhe roubou um cofre com dinheiro e, então, ele a mandou ir embora. A filha de 14 anos de idade continuou indo a sua casa e foi aí que eles começaram a ter um "caso amoroso".

Os demais não quiseram falar. Antônio, que é paraplégico e anda em cadeira de rodas, fez de tudo para esconder o rosto e também não quis falar. Egil tentou esconder o rosto e preferiu virar de costas.  

A delegada não entrou em detalhes sobre os crimes que eles praticaram  e disse apenas que os cinco já foram julgados e condenados. “Agora eles vão cumprir suas penas”, disse Juliana Tuma, titular da Depca. De acordo com Tuma, maioria dos autores dos crimes é conhecido das vítimas.

Publicidade
Publicidade