Publicidade
Manaus Hoje
HOMICÍDIOS

Comandante do tráfico no S. Jorge e Vila da Prata é preso suspeito de matar 14 em Manaus

“Quem entra para o mundo obscuro do tráfico já sabe o seu fim”, disse ele, que mora em um condomínio de luxo na estrada da Ponta Negra 08/02/2018 às 11:18 - Atualizado em 08/02/2018 às 11:34
Show 677c8145 672a 4a6e b6b4 80fa95ac04ba
Foto: Gilson Mello
Conceição Melquiades Manaus (AM)

Alexsandro Oliveira dos Santos, de 32 anos, conhecido como “Sandrinho”, foi preso com mandado de prisão preventiva pela Polícia Civil, em Manaus, acusado de matar um homem em novembro de 2016 na capital amazonense. Entretanto, ele é apontado como sendo o autor de, ao todo, 14 assassinatos na cidade.

“Quem entra para o mundo obscuro do tráfico já sabe o seu fim”, disse Alexsandro na manhã de hoje (8), durante coletiva de imprensa na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). À reportagem do Portal A Crítica, ele afirmou que todas as vítimas assassinadas eram envolvidas com o tráfico de drogas e “já sabiam que iriam morrer”.

Conforme o delegado Juan Valério, titular da DEHS e que comandou a prisão de “Sandrinho”, o acusado mora em um condomínio de luxo na estrada da Ponta Negra, Zona Oeste, e também agia como comandante na venda de entorpecentes nos bairros São Jorge e Vila da Prata, também na Zona Oeste da capital. Ele foi preso na última terça (6) com um veículo importado da marca Kia, modelo Sportage, de cor branca e placas OAB-9955.

Conforme Valério, no aparelho celular de Alexsandro foram encontradas mensagens em que ele acertava com “soldados” do tráfico detalhes de mais um assassinato em Manaus. Dos 14 crimes na lista de Alexsandro, todos aconteceram nos bairros São Jorge e Vila da Prata. Ele agiu ou como autor da execução ou por ter dado a autorização para o assassinato. Após as mortes, “Sandrinho” ainda ameaçava as famílias e, em algumas vezes, chegou a ele mesmo bancar o custo de funerais.

A morte por qual Alexsandro foi preso por mandado judicial é de Clerton da Silva Menezes, chamado de “Bombinha”. Ele, na época com 27 anos, foi assassinado em 8 de novembro de 2016 na rua Isaac Benjó, antiga Arthur Reis, no, bairro Vila da Prata, Zona Oeste.

Vínculo com a FDN

Segundo a Polícia Civil, Alexsandro começou a traficar drogas pela facção criminosa Família do Norte (FDN), mas havia se “desvinculado” e passou a trabalhar de forma independente, comprando as drogas diretamente com fornecedores.

A investigação para prender Alexsandro durou cerca de seis meses e, na última semana, já com o mandado de prisão em mãos, os policiais civis não conseguiam localizar o acusado. Por medo de represálias, ninguém dizia o paradeiro de “Sandrinho”. Porém, a polícia fez campana por uma semana e conseguiu prendê-lo antes de fazer a próxima vítima.

Publicidade
Publicidade