Quinta-feira, 03 de Dezembro de 2020
CENÁRIO

Defesa diz que laudo não envolve Alejandro Valeiko em assassinato

O processo do caso está tramitando na 1ª Vara do Tribunal dó Júri e está nas mãos do juiz Celso de Paula



show_alejandro_12345_A94E2FD9-C31D-436B-9D68-B2C3D0A5A751.jpg Foto: Junio Matos
30/10/2020 às 19:06

O laudo da reprodução e simulação do assassinato do engenheiro Flavio Rodrigues ocorrido no dia 29 de setembro do ano passado está sendo usado pela defesa de Alejandro Valeiko como a prova principal da sua inocência.

De acordo com denúncia datada do dia 16 de dezembro do ano passado o promotor de justiça Igor Starling, denunciou Alejandro pelos crimes de homicídio qualificado contra o engenheiro e homicídio tentado contra Elielton Magno de Menezes, juntamente com o sargento Eliseu da Paz e o lutador de MMA Maic Paredes.



Em entrevista coletiva a defesa de Alejandro, demonstrando otimismo, disse que o laudo da reprodução simulada assinado pelos peritos do Instituto Criminalística do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC) Mahatma Sonhará Araujo, Crhistian Anderson Gama e Bráulio Leite Pedrosa inocenta Alejandro dos crimes de homicídio e da tentativa.

Durante a coletiva, a defesa de Alejandro destacou que no laudo consta que Flavio foi levado pelo sargento e pelo lutador com vida da casa 179,rua Carlota Joaquina, condomínio Passaredo, moradia de Alejandro, onde naquela noite acontecia uma festa regada a bebida alcoólica e muita droga. Além de Alejandro e Flavio estavam na casa o cozinheiro Vittorio Del Gatto, José Edivandro Martins e Elielton Magno de Menezes.

No dia seguinte o corpo do engenheiro foi encontrado jogado em um terreno baldio.

O advogado Renato Martins, comentou detalhes do laudo, a dinâmica de como, com base no laudo, o caso ocorreu ainda no imóvel e sugeriu que Valeiko pode passar de réu para vítima, já que também foi ferido a coronhadas. “O nosso cliente sempre falou a verdade de que não teve nenhuma participação na morte de Flavio”, disse o advogado. A defesa disse ainda que o laudo não inocenta Valeiko, mas o conjunto probatório poderá provar a sua inocência.

O sargento Da Paz e Paredes são assassinos confessos do crime do engenheiro e encontram-se presos. Em depoimento o militar, que estava à disposição casa Militar da Prefeitura, e dava assistência ao filho da primeira dama Elizabeth Valeiko, disse que foi avisado da festa na casa de Alejandro, chamou o colega lutador e foram até lá com a intenção de acabar com a festa dando um susto no filho da patroa e nos convidados. Mas a coisa saiu do controle.

O processo do caso está tramitando na 1ª Vara do Tribunal dó Júri e está nas mãos do juiz Celso de Paula. De acordo com o magistrado o processo está na fase de instrução aguardando que todos os réus Maic Parede, os irmãos Alejandro e Paola Valeiko apresentem as suas defesas, três deles já fizeram, e a audiência de instrução processual está marcada para novembro.

Detalhes do laudo

O laudo da destaque para o meio cruel utilizado pelos assassinos do engenheiro. Flavio, de acordo com a perícia Flavio morreu no local onde o seu corpo foi encontrado, que ainda estando vivo foi submetido a violenta tortura por seus algozes. O engenheiro sofreu múltiplas agressões físicas com uso de instrumento rígido na região da cabeça. Também ele foi sufocado o que o impediu de respirar e de pedir socorro

Conforme o laudo, depois de torturado e ferido a facadas foi colocado no banco traseiro de um veículo Corolla e levado para um terreno baldio da avenida Tarumã o de foi arrastado por um terreno de superfície rígida e áspera onde acabou morrendo. No local moram encontradas as peças do vestuário da vítima, camiseta e bermuda.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.