Publicidade
Manaus Hoje
execução

DEHS prende três suspeitos do homicídio de militante do PDT, ocorrido em fevereiro

O delegado Ivo Martins informou que há fortes indícios de que presidente nacional do Movimento Democrático Estudantil (MDE) seja o mandante do crime, motivado por desentendimentos com a vítima ou numa queima de arquivo 07/04/2016 às 11:54 - Atualizado em 07/04/2016 às 12:11
Show militante
O militante desapareceu no dia 12 de fevereiro, mas seu corpo só foi encontrado no dia 16, em estrada da Zona Leste
Fabio Oliveira Manaus (AM)

Policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) prenderam no decorrer da madrugada desta quinta-feira (7) três homens suspeitos de envolvimento na morte do militante do Partido Democrático Trabalhista (PDT) Alexandre Cézar Ferreira, de 33 anos,  executado com um tiro na cabeça  no dia 12 de fevereiro deste ano.

Seu corpo foi achado apenas quatro dias após o crime na estrada do Puraquequara, na Zona Leste de Manaus, com sinais de tortura e com os pés e mãos amarrados, segundo a polícia informou na época.

Entre os presos estão Ildecler Ponce Leão, presidente nacional do Movimento Democrático Estudantil (MDE); o cabo da Polícia Militar Edmilson Rodrigues; e o funcionário do MDE Thiago de Souza Nascimento. As detenções ocorreram no bairro Aparecida, Zona Sul da cidade.

O delegado Ivo Martins, titular da DEHS, informou que há  fortes indícios de que Ildecler seja o mandante do crime, motivado por desentendimentos com Alexandre. O trio está preso temporariamente e todos  estão prestando depoimento ao longo desta quinta-feira.

Ainda segundo o delegado, a atual linha de investigação é que a vítima tenha sido executada em um caso de queima de arquivo, provavelmente por "saber demais". A delegacia irá investigar, agora, o real motivo por trás do assassinato.

Reconstituição

No dia 24 de março, policiais civis da DEHS já haviam feito a reconstituição do caso. Uma testemunha esteve presente na reconstituição e deu detalhes do que ouviu na noite do crime.

PDT agradece polícia

Em nota, o deputado federal Hissa Abrahão, presidente do Partido Democrático Trabalhista (PDT-AM), "primeiramente, agradece à Polícia Civil, na pessoa do delegado Ivo Martins, titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS), por esclarecer a morte do militante Alexandre Cézar Ferreira, 33, morto em fevereiro deste ano, em um ramal do bairro Puraquequara, Zona Leste".

Abrahão informou, no comunicado, que Ildercler Ponce de Leão, Thiago dos Santos Miranda e o policial militar Edmilson Pimentel Rodrigues, presos por suspeita de participação no caso, não são filiados ao PDT.

“Agradeço, em nome do PDT, em nome da família do Alexandre e de todos os amigos, a elucidação do crime por parte da Delegacia de Homicídios. Ressalto que os suspeitos do crime não são filiados ou tem ligação com o PDT. E estamos na torcida para que os demais envolvidos nesse brutal assassinato sejam capturados e julgados”, conclui.

Publicidade
Publicidade