Segunda-feira, 23 de Setembro de 2019
tráfico

Desfeita dela PC, quadrilha tinha assessor de deputado como responsável por armas

Quatro pessoas que integravam quadrilha de tráfico de drogas com atuação na capital e interior do Amazonas foram presas e apresentadas na Delegacia Geral, em Manaus, na manhã deste sábado (9). Com eles, drogas, dinheiro e armamento pesado foram apreendidos



trafico.jpg Fotos: Winnetou Almeida
09/07/2016 às 12:46

A segunda fase da operação Alcatraz 2, deflagrada pela Polícia Civil do Amazonas resultou na prisão de Claudemir Lima de Paula Rodrigues, de 25 anos, também conhecido como “Claudinho”; Fabrício Lopes Amorim, de 28; Gerry Leverton Miranda, também 28, apontado como um dos líderes da organização; e Thiago Coelho Araújo, 22, conhecido como “Loirinho”, assim como na desarticulação da quadrilha de tráfico de drogas que eles integravam.

Eles foram detidos pela equipe do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) apresentados na manhã deste sábado (9), durante coletiva de imprensa na Delegacia Geral (DG).

Conforme informações do diretor do DRCO, Juan Valério, as prisões aconteceram ao longo desta última sexta-feira  (8). Gerry foi preso por volta das 9h em uma comunidade ribeirinha no município de Manacapuru, na Região Metropolitana de Manaus (RMM). Fabrício, foi preso por volta das 17h30 na avenida Grande Circular, Zona Oeste de Manaus, enquanto que Claudemir foi pego na ponte Rio Negro por volta das 19h. Thiago foi o último a ser localizado, em um beco no bairro Tancredo Neves, Zona Leste da capital.

Conforme informações da Polícia civil, entre os homens capturados está Fabrício, que é servidor da Assembléia Legislativa do Estado (ALE-AM), onde atuava como funcionário do gabinete do deputado estadual Luiz Castro (Rede). A reportagem entrou em contato com o deputado Luiz Castro que informou que Fabrício trabalhava como motorista havia pouco tempo. Castro disse ainda que falará em entrevista coletiva sobre o caso.

De acordo com o diretor Juan Valério, o servidor público era quem guardava as armas utilizada pela organização criminosa. “Nós realizamos a prisão dele em flagrante na última sexta-feira, quando ele estava em um carro modelo Fiat Bravo com a submetralhadora, além de aproximadamente meio quilo de maconha tipo skunk e mais R$ 3 mil em dinheiro. A espingarda estava em posse de Claudinho”, explicou.

Valério informou ainda que ao todo foram identificados 14 membros da organização criminosa e todos foram presos pela PC-AM. “O grupo possuía todo um organograma, onde existiam divisões de tarefas, que iam desde esconder as armas até a captação de recursos com venda de drogas e demais atos ilícitos - como assalto tanto na capital quanto no interior do Estado”, finalizou.

Os trabalhos iniciaram sob o comando do DRCO em ação conjunta com a 34ª Delegacia Integrada de Polícia (DIP), que posteriormente iniciaram as investigações, onde foi verificado que se tratava de uma organização criminosa que atuava com tráfico de drogas na capital e se expandiu para o Careiro Castanho. A operação Alcatraz 2 foi encerrada e os autores foram indiciados por organização criminosa, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de uso restrito e roubo.

No fim do mês de junho, dez pessoas foram presas suspeitas de participarem de um roubo a uma agência bancária no município de Careiro Castanho (a 87 quilômetros de Manaus) no mês passado. Segundo a Polícia Civil, em maio, após a prisão de dois criminosos, a quadrilha conseguiu resgatar os suspeitos da delegacia rendendo policiais. Restavam apenas os quatros foragidos apresentados na manhã de hoje na DG.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.