Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2021
Polícia investiga

Detetive particular é morto com quatro tiros no Viver Melhor

César Thiego Quara Rodrigues tinha 30 anos e foi atingido por disparos de homem em moto



129979562_10224675734705302_7781173059335940793_o_FAF99EFC-6F38-4F8F-ADDA-A3BEB79AF920.jpg Foto: Phil Lima
04/12/2020 às 19:47

O detetive particular César Thiego Quara Rodrigues, 30, foi executado com quatro tiros na tarde desta sexta-feira (4), atrás do Shopping Phelippe Daou, na rua Copacabana, no conjunto residencial Viver Melhor 2, bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus. O detetive particular era irmão do jornalista Thiago Quara.

Ao A Crítica, testemunhas relataram que o crime ocorreu por volta das 15h40. César Thiego estava recebendo um pacote de uma mulher, de cabelo curto, trajando vestido rosa quando dois homens chegaram em uma motocicleta de cor preta. O garupa efetuou os disparos à queima-roupa contra a vítima, que morreu na hora. A mulher fugiu e não foi ferida.

"Durante a abordagem, o homem foi obrigado pela dupla a entregar o pacote e, em seguida, foi alvejado com quatro tiros. A mulher saiu correndo em direção ao bloco 9 do conjunto, sem ferimentos. Os criminosos fugiram sem serem identificados", disse uma moradora, que preferiu não se identificar.

Testemunhas afirmaram, ainda, que o piloto usava capacete e o garupa estava de boné e camisa com listras branco e preto. A dupla já tinha sido vista desde cedo no conjunto residencial. Um morador, que chegava em casa, presenciou o passageiro da moto com uma arma de fogo na cintura. Uma viatura policial foi acionada, mas os suspeitos não foram encontrados.

No local do crime, a polícia obteve informações que César Thiego, momentos de ser assassinado, esteve com a mulher nas dependências do Shopping Phelippe Daou. Na ocasião, ele chegou a abrir o pacote e fez um cigarro de maconha.

Ao perceber o ato um segurança aproximou-se e pediu para que César Thiego se retirasse do espaço de compras, juntamente com a mulher desconhecida. O casal, então, seguiu para a área externa do shopping e terminou o encontro no conjunto habitacional.

Conforme informações da perícia criminal, do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), César Thiego foi atingido com tiros no pescoço, nuca, olho direito e ombro do lado direito.

Com a vítima, os peritos criminais recolheram um celular, um distintivo de detetive particular, quantia pequena de dinheiro e outros objetos, além do documento de uma motocicleta Honda/XRE 300, de cor vermelha, com placa OAK-5868. Também foi encontrado um crachá da empresa Taurus Investigações - agência de investigação particular.

O corpo de César Thiego foi removido para o Instituto Médico Legal (IML). Ele era irmão do jornalista Thiago Quara, que ficou sabendo da morte por meio de lives, transmitidos por portais de notícias. 

A Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) abriu inquérito policial para investigar as circunstâncias do assassinato e trabalha com a hipótese de estelionato no curso das investigações. Imagens de câmeras de segurança do local ajudarão na identificação dos autores.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.