Publicidade
Manaus Hoje
A TIROS

Disputa pelo tráfico em Coari deixa um morto e outro ferido, diz Polícia Militar

Major que comanda o Batalhão da PM no município diz que Coari tem sido palco de várias mortes por conta da briga entre traficantes e pede providências 21/05/2017 às 16:01 - Atualizado em 21/05/2017 às 22:18
Show whatsapp image 2017 05 21 at 15.33.32
Crime ocorreu na noite deste sábado (Foto: Divulgação)
Rita Ferreira Manaus (AM)

Um homem morreu e outro ficou ferido após serem baleadas na noite deste sábado (20), na cidade de Coari, que fica a 363 km de Manaus. Geilson Carvalho Ribeiro, de 24 anos, morreu ainda no local do crime e Wallacy Vieira da Silva, 18, foi socorrido com vida e encaminhado para uma unidade de saúde do município. De acordo com a Polícia Militar, a ação ocorreu devido a disputa pelo tráfico de drogas na cidade. 

O crime ocorreu por volta das 20h, em frente ao 5º Batalhão da Polícia Militar, situado em Coari. Os policiais foram acionados em frente ao Quartel por um homem que disse ter sido vítima de uma tentativa de homicídio. Ao chegar ao local havia mais um homem morto, também vítima de arma de fogo.
 
A vítima relatou aos policiais que estava passando em uma motocicleta pela estrada do aeroporto quando ouviu os disparos feitos por dois homens. Segundo a vítima, eles vinham numa motocicleta modelo Brós de cor preta e placa não identificada. Wallacy conduzia o veículo e acelerou quando percebeu os tiros. Ele e o amigo que vinha da garupa da motocicleta foram atingidos nas costas.
 
Após a remoção do corpo e o socorro à vítima, os policiais ouviram relatos de testemunhas que disseram ter visto um traficante conhecido na cidade como “Vitão” na estrada em uma moto com as mesmas características informadas pela vítima. No entanto, as testemunhas não quiseram prestar depoimento por medo de represálias.

Disputa de tráfico intensifica violência

Segundo o major Pedro Moreira, comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar em Coari, este crime e outras mortes ocorridas na cidade teriam sido motivados por disputa pelo tráfico de entorpecentes na cidade. O policial relata que na semana passada, a PM prendeu dois pistoleiros que revelaram estar cometendo crimes por ordem de um traficante preso na Unidade Prisional de Coari (UPC). 

O major denuncia ainda que os “xerifes” comandam o tráfico de drogas e encomendam mortes de dentro do presídio e questiona porque o Estado ainda não providenciou a transferência dos presos para Manaus. Ele afirmou ainda que os presos tem regalias atrás das grades. “Hoje os "xerifes" vivem como querem dentro da UPC, permanecendo no local conhecido como "isolamento", onde estão "Nego do Catara" e "Mata-Porco" acompanhados de seus "soldados". O isolamento é o local onde possuem as melhores celas da Unidade, estão todas na cerâmica e foram reformadas, segundo informes a mando de "Nego do Catara", nos moldes das antigas "celas de luxo" existentes no Compaj”, disse o comandante.  

O oficial da PM, que atua no município de Coari há dois meses, disse que a Polícia Civil não tem efetivo nem tempo suficiente para investigar os crimes e que é necessário enviar equipes da capital para atuar na cidade a fim de prender os traficantes que continuam soltos, como “Vitão” e outro identificado como “Cimazinho”.

 “É necessário que haja um trabalho que reflita a curto e a médio prazo pelo menos e não somente medidas paliativas, como Operações Policiais que não surtem efeito. Pois os marginais se escondem e quando a Polícia se retira, eles voltam a atuar”, concluiu. 

A reportagem pediu um posicionamento da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária sobre a questão, e tão logo a nota seja enviada, será acrescentada a esta matéria. 
 
 

Publicidade
Publicidade