Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020
ASSALTO

Dupla é presa por assaltar ônibus que fazia rota do Distrito Industrial, em Manaus

Os dois, segundo a polícia, também podem ter envolvimento no linchamento do estudante Kayube de Carvalho Oliveira, 16, que foi espancado até a morte após ser “confundido” com um assaltante



4a9ed2ed-fbca-4a7f-844b-d75ec391cc33_8F1E10E9-8112-4CD8-B1A7-40FCC4C6169F.jpg Foto: Jander Robson
14/08/2018 às 14:53

Higor Alves Castelo Branco, o “Gordinho”, e Luan Barbosa Teles, o “Nenen”, ambos com 19 anos, foram presos na noite dessa segunda-feira (13), em Manaus, suspeitos de assaltarem um ônibus que fazia rota para uma empresa do Distrito Industrial. Segundo a polícia, eles também podem ter envolvimento no linchamento do estudante Kayube de Carvalho Oliveira, de 16 anos, que foi espancado até a morte no dia 5 de agosto, na comunidade Val Paraíso, após ser “confundido” com um assaltante.

O assalto ao ônibus e o assassinato do estudante Kayube ocorreram no mesmo dia, 6 de agosto. Segundo o delegado Torquato Mozer, plantonista do 30º Distrito Integrado de Polícia (DIP), os criminosos foram presos após investigação, onde vítimas do assalto informaram características físicas dos criminosos. Os policiais, então, verificaram o banco de dados de criminosos e mostraram fotos deles às vitimas, que reconheceram “Gordinho” e “Nenen”. “Montamos uma operação conjunto com a Polícia Militar para prender os dois. Eles estavam em via pública e possivelmente estavam se encontrando para praticar novos crimes”, disse Mozer.



Nas ações criminosas, segundo a polícia, a dupla agia com violência contra as vítimas. Mozer afirmou, ainda, que a dupla tem envolvimento em outros assaltos e pediu a colaboração da população. “A ação era sempre com violência. No último assalto, do dia 6, o Higor deu uma coronhada na cabeça do motorista e não há dúvidas que faziam outros assaltos naquela área”, afirmou Mozer.

Luan tem passagem pela polícia por tráfico de drogas e roubo. Ele, inclusive, deveria estar usando tornozeleira eletrônica, mas, segundo o delegado, tirou o equipamento e o guardou em um armário na casa dele. “Fizemos o monitoramento, mas sempre dava parado. Estava guardado em um armário dentro da casa dele”, disse o delegado.

À imprensa Luan confessou participação no assalto do dia 6, mas negou agir com violência. O comandante da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), capitão Alisson Henriques, disse que, devido ao número de assaltos às rotas do Distrito, já faziam acompanhamento dessas ocorrências e as informações repassadas pelas vítimas são fundamentais. “Sempre que acontece algum ilícito trazemos as vítimas no DIP para conversarmos e termos mais informações”, disse. 

Sobre o envolvimento no linchamento do estudante Kayube de Carvalho Oliveira, o delegado informou que provavelmente a dupla participou, mas o caso será conduzido pela Delegacia Especializa em Homicídios e Sequestros (DEHS). “A arma empregada nos assaltos pertencia ao nacional ao qual foi apresentado ontem (segunda-feira), o que nos leva a crer que ambos provavelmente tenham participação no crime de ocorrido na semana passada, mas vai ser encaminhado pela Homicídios, mas pelos fato aqui apurados certamente ago há na participação de ambos”, disse.


Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.