Publicidade
Manaus Hoje
POLÍCIA

Dupla foi morta por usar roupa parecida com a de traficantes da área, dizem familiares

Familiares de Eduardo Santos, 25, afirmaram que pistoleiros mataram a dupla no lugar de traficantes que também usavam jeans e blusa do Brasil, na noite dessa sexta-feira (23), na Zona Leste de Manaus 23/06/2018 às 11:27 - Atualizado em 23/06/2018 às 11:42
Show whatsapp image 2018 06 23 at 11.02.16
Foto: Reprodução
Ana Sena Manaus (AM)

O ajudante de pedreiro Eduardo Santos dos Santos, 25, e o amigo dele Fabson Coelho dos Santos, 31, foram executados com mais de 20 tiros de fuzil 762 e pistola calibre 9 milímetros, na noite da última sexta feira (22) na rua Marcelo Santos, bairro Zumbi, Zona Leste de Manaus.

Ao Portal A Crítica, familiares de Eduardo afirmaram que os pistoleiros mataram a dupla por engano, no lugar de dois traficantes de drogas que também usavam jeans e blusa do Brasil, da mesma forma com que estavam vestidas as vítimas. O local do crime fica na esquina de um beco que é considerado ponto de vendas de entorpecentes.

"Na hora dos tiros, o Fabson ainda pulou na frente do Eduardo para tentar defender ele dos disparos, mas os dois acabaram baleados e mortos. Eles foram assassinados por engano no lugar de dois traficantes que estavam na esquina minutos antes dos atiradores chegarem", relatou a sogra de Eduardo, uma aposentada de 61 anos que preferiu não se identificar.

Segundo testemunhas, Eduardo e Fabson estavam sentados na calçada, após terminarem um trabalho e esperavam o pagamento, quando dois homens em uma motocicleta passaram e jogaram bombinhas em via pública para afastar as crianças que brincavam na rua. Minutos depois, os pistoleiros que estavam em um veículo, desceram do carro armados e efetuaram mais de 20 disparos contra os homens.

A sogra de Eduardo disse ainda que as vítimas eram amigos desde a juventude e eram missionários de uma igreja evangélica. "Meu genro era um homem trabalhador, da igreja que vivia para família. Ele era casado há cincos anos com a minha filha e tinha um filho de quatro meses. Eles não mereciam isso, por causa de uma roupa parecida, eles foram mortos", lamentou a aposentada.

Investigações

Por telefone, o titular da Delegacia Especializada de Homicídios e Sequestros (DEHS), delegado Jeff MacDonald, disse que as investigações estão no início. O delegado pediu ainda que familiares compareçam na delegacia para prestar depoimento e ajudar na identificação dos pistoleiros.

Publicidade
Publicidade