Publicidade
Manaus Hoje
HOMICÍDIO

Dupla que matou guarda municipal em Autazes receberia R$ 5 mil pelo crime

Os dois suspeitos, que são detentos foragidos do sistema prisional do Estado, agiram por vingança e a mando de homem identificado como “Zaqueu” 12/09/2018 às 11:02 - Atualizado em 12/09/2018 às 11:10
Show b07c4de6 7200 414e a4c3 ce927e6699ea a016d30d b8d2 49b7 bc8c 1ba61b7be193
Foto: Jander Robson
Larissa Golvin Manaus (AM)

Os dois detentos foragidos do Amazonas suspeitos de matarem a guarda municipal Dayane Percilia Mota Albuquerque, e de balearem outra pessoa na cabeça, na última segunda (10) em Autazes, foram presos apresentados hoje pela Polícia Civil do Amazonas. Eles foram pegos por moradores quando tentavam fugir da cidade, localizada a 113 quilômetros da capital. O crime, segundo a polícia, seria motivado por vingança e teria ocorrido a mando de um homem identificado apenas como “Zaqueu”.

Os dois suspeitos foram identificados como Paulo Ateliê Batista Vieira, 24, o “Colombito”, e Waldeir Santos Arcos, 24. Eles disseram, em depoimento, que receberiam a quantia de R$ 5 mil para executar outro guarda municipal. Com eles, a polícia ainda encontrou 609 trouxinhas de entorpecentes e uma balança de precisão. A arma utilizada no assassinato da guarda municipal ainda não foi encontrada.

Um dos suspeitos, Paulo Felipe, conseguiu fugir da carceragem da 39ª Delegacia Interativa de Polícia na madrugada do último dia 23 de agosto, onde cumpria pena, juntamente com outros sete detentos. Eles escaparam através de um buraco feito na parede do banheiro de uma das celas.

Paulo e Waldeir foram trazidos para Manaus e encaminhados ao 10° Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde fora autuados em flagrante por homicídio, tentativa de homicídio e tráfico de drogas. Eles passarão por Audiência de Custódia.

Crime brutal

A guarda civil municipal Dayane Percilia Mota de Albuquerque foi assassinada a tiros na noite de segunda-feira (6), em Autazes. Segundo a Polícia Militar, Dayane estava na sede do Posto de Policiamento Ostensivo (PPO) quando os dois criminosos, foragidos do sistema prisional, chegaram atirando. Eles invadiram o local onde as vítimas estavam e os atacaram. Dayane morreu no local e a vítima atingida na cabeça foi internada em estado grave.

Publicidade
Publicidade