Publicidade
Manaus Hoje
POLÍCIA

‘Nossa vida acabou’, diz mãe de adolescente morta estrangulada no Japiim

Suspeitas do crime foram apresentadas pela Polícia Civil. Mãe afirma que autora do crime tinha ciúmes da jovem 24/01/2019 às 11:01 - Atualizado em 24/01/2019 às 11:19
acritica.com Manaus (AM)

“Eu não sei explicar, é uma revolta, sentimento de tristeza, angústia. Ela não precisava fazer isso. Ela acabou com a nossa vida”, disse Camila Rodrigues, mãe de Camille Vitória, agredida e estrangulada até a morte por duas mulheres no Japiim, Zona Sul de Manaus. As duas suspeitas foram apresentadas nesta quinta-feira (24) pela Polícia Civil. O crime ocorreu no dia 31 de dezembro de 2018.

Investigações da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) apontaram que uma das suspeitas, Silvilla Gonçalves, 33, considerada chefe do tráfico da área, tinha ciúmes da adolescente com o marido. Ela e Lucimara Feitosa, 23, decidiram então matar a jovem.

Inicialmente, a polícia havia recebido a informação que a jovem morreu por overdose. Silvilla disse à polícia que a adolescente teria tentado agredi-la, e por isso decidiu matá-la. A mãe da vítima afirma que a suspeita tinha inveja da filha.

“O que a gente sabe é que o marido dela mexia com a minha filha, mas ela nunca olhou pra ele. A minha filha era linda e chamava a atenção por onde passava. Elas não tiveram piedade dela”, disse a mulher.

Ainda segundo Camila, a filha foi morta sete dias depois de ter completado 16 anos. “Ela acabou com a nossa vida. A gente tinha sonhos, projetos... A gente conversou final do ano sobre tanta coisa. A gente era amiga. Ela era minha amiga, parceira e me colocava pra cima”, disse Camila emocionada.

As duas mulheres foram indiciadas por homicídio qualificado e serão encaminhadas ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF).

Publicidade
Publicidade