Publicidade
Manaus Hoje
Ação conjunta

Empresário chefe de tráfico de drogas em Manaus é preso em ação conjunta da polícia

Tássio Caster de Souza, 29, foi capturado em um apartamento de um amigo dele, na Compensa. Ele usava empresa de refrigeração de “fachada” para fazer distribuir droga 28/09/2016 às 16:11
Show unnamed
Segundo a polícia, ele é terceiro membro de uma família preso por tráfico de drogas (Erlon Rodrigues/Divulgação)
acritica.com

Uma ação conjunta envolvendo a Polícia Civil do Amazonas e policiais militares da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) prendeu na manhã de ontem, segunda-feira (26) o empresário Tássio Caster de Souza, 29, em cumprimento a mandado de prisão preventiva por tráfico de droga, associação para o tráfico e associação criminosa. Conforme a polícia, a prisão desfalca o esquema de tráfico no Amazonas. A ação foi coordenada pelo delegado titular da 3ª Seccional Leste, Pablo Geovanni, e pelo aspirante a oficial da PM Emerson Tizzato.

De acordo com o delegado Pablo Geovanni, a prisão ocorreu no apartamento de um amigo de Tássio, situado na avenida Coronel Cyrillo Neves, bairro Compensa, zona Oeste da cidade. O empresário foi apresentado durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira, dia 28, às 9h30, no prédio da Delegacia Geral, no bairro Dom Pedro, zona Centro-Oeste da capital.

Conforme a autoridade policial, o mandado de prisão em nome de Tássio foi expedido no dia 22 de outubro de 2015, pela juíza Rosália Guimarães Sarmento, titular da 3ª Vara Especializada em Crimes de Uso e Tráfico de Entorpecentes (3ª Vecute). O infrator é o terceiro membro de uma família preso por envolvimento com o tráfico de drogas em Manaus. Segundo Geovanni, Tássio utilizava uma empresa de refrigeração como “fachada” para fazer a distribuição de entorpecentes.

“Em novembro do ano passado o pai e o irmão de Tássio, respectivamente Luiz Carvalho de Souza, 54, e Thiago Caster de Souza, 31, foram presos por envolvimento com o tráfico de drogas.  Luiz Carvalho, por ter um bom relacionamento no meio empresarial, seria o responsável em oferecer as substâncias ilícitas. Tássio efetuava a compra e distribuía a droga, inclusive para outros estados do país. Ao longo das investigações descobrimos que eles enviavam entorpecentes para Santa Catarina e Pará”, esclareceu Geovanni.

O titular da 3ª Seccional Leste disse que a equipe de investigação da unidade policial recebeu no início da semana uma denúncia anônima, informando que Tássio estaria morando no Pará, mas que chegaria a Manaus naquele mesmo dia e ficaria hospedado no apartamento de um amigo, onde ocorreu a prisão. Por conta do risco de fuga do infrator, o delegado solicitou o apoio de policiais militares da Rocam para o cumprimento do mandado de prisão em nome do empresário.

“Ao abordamos o infrator ele nos apresentou um documento de identificação falso, em nome de Mario Mendes de Oliveira. Após constatamos a irregularidade ele ainda chegou a nos oferecer R$ 50 mil para ser liberado e, por esse motivo, o empresário acabou atuado em flagrante por uso de documento falso e corrupção ativa”, relatou o aspirante da Rocam Emerson Tizatto.

Pablo Geovanni destacou que a prisão de Tássio representa um grande desfalque para o tráfico de drogas no Estado, pois este caso está relacionado a distribuidores e não apenas vendedores de entorpecentes. Tássio foi indicado por tráfico de drogas, associação para o tráfico e associação criminosa. O infrator ainda foi autuado em flagrante por uso de documento falso e corrupção ativa.

Ao término dos procedimentos cabíveis na 3ª Seccional Leste, onde foram realizados os trâmites legais em torno do caso, o empresário será encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

*Com informações da assessoria de imprensa

Publicidade
Publicidade