Publicidade
Manaus Hoje
BOA VISTA DO RAMOS

Empresários são presos por envolvimento em morte de homem no interior do AM

Além dos dois empresários, dois policiais militares também são investigados por terem participado direta ou indiretamente no crime 21/11/2018 às 19:58
Show morte 98bcd2b2 b78e 4250 8180 9bf9ee63ee3d
Foto: Divulgação
Kelly Melo Manaus (AM)

Os empresários Raimundo Nonato Xavier, o “Raimundinho”, e o irmão dele, Geraldo Flávio Xavier, investigados por terem participado do assassinato de Thiago Barbosa Ferreira na semana passada, no município de Boa Vista do Ramos (município distante a 271 quilômetros de Manaus), foram presos na tarde desta quarta-feira. A informação foi confirmada pelo delegado Jardel Oliveira, que comanda as investigações.

Conforme o delegado, as prisões dos dois irmãos foram solicitadas ainda na semana passada e foram expedidas na última segunda-feira. “Hoje, eles foram notificados para comparecem na delegacia e quando chegaram, receberam voz de prisão”, explicou Jardel, ao mencionar que teve o apoio dos investigadores Porto e Arce para realizar as prisões.

Segundo Jardel Oliveira, Raimundinho é um dos empresários mais fortes do município e foi o responsável por atirar na vítima, que estava algemada na carroceria de uma caminhonete, que era dirigida por um policial militar. Já Geraldo Flávio foi uma das pessoas que chegou a ir na casa de Thiago e agredi-lo e torturá-lo, antes de ser morto. “Mesmo sendo feriado prolongado, houve um empenho muito grande do Ministério Público e da Justiça para expedir as prisões preventivas, tendo em vista que o crime foi bárbaro e chocou o município”, destacou o delegado.

Ainda segundo as investigações, a real motivação ainda não foi esclarecida, mas a Polícia Civil trabalha para elucidar o caso. “Já ouvimos os dois empresários, mas as informações que eles deram não batem com as informações das testemunhas. Por isso, as investigações continuam para esclarecer esse caso”, afirmou Jardel.

Além dos dois empresários, dois policiais militares também são investigados por terem participado direta ou indiretamente no crime.  Os policiais foram identificados como cabo Alberto e sargento Viana. Fontes consultadas pelo Portal A Crítica confirmaram que a prisão preventiva dos dois policiais também foram expedidas pela Justiça e eles podem ser presos a qualquer momento.

Na semana passada,  a Polícia Civil informou que o cabo Alberto esteve na casa da vítima juntamente com Flávio, onde  iniciaram a sessão de tortura e agressões, além de algemarem  Thiago e depois, o colocarem em uma caminhonete.   Já o sargento Viana estava no local do crime, estava de serviço, e mesmo assim, não fez nada para impedir o assassinato, segundo as investigações.

Na época do crime, o delegado Jardel Oliveira destacou que embora a vítima tivesse participação em pequenos furtos na cidade, fosse usuária de drogas e envolvida em várias confusões no município, nada  justificativa o crime, considerado bárbaro, por ter ocorrido em via pública, na frente da população.

Publicidade
Publicidade