Sexta-feira, 03 de Abril de 2020
FALSIDADE IDEOLÓGICA

Estelionatário que utilizava foto de delegado para aplicar golpes é preso

Cleverson Francisco dos Santos, 29 anos, foi preso no estado do Amapá (AP) por fazer parte de uma associação criminosa que utilizava a foto do delegado de Polícia Civil, Rafael Costa e Silva, para aplicar golpes naquele estado



show_delegacia_E01499B4-354D-4CB4-911D-0E4AC0E84541.jpg Foto: Divulgação
14/03/2020 às 15:04

Cleverson Francisco dos Santos, 29 anos, foi preso suspeito de ajudar o presidiário Antônio Gomes Coelho, conhecido como “Meiruca”, a realizar golpes de estelionato com um perfil de rede social falso em nome do delegado Rafael Costa e Silva e de outras autoridades da Polícia Civil do Estado do Amazonas (PC-AM). A autoridade policial desembarcará em Manaus na noite deste sábado (14) para encaminhar o suspeito a uma prisão situada na capital, conforme informou a PC-AM.

Cleverson foi preso na casa onda mora, no estado do Amapá. A operação que culminou na prisão do suspeito foi batizada de ‘Coríntions’. Após deflagração na última quinta-feira (12), o delegado Rafael Costa e Silva e o investigador Alessandro Cardoso, do 4ª Distrito Integrado de Polícia (DIP) se deslocaram até o Amapá com o objetivo de cumprir mandados de prisão preventiva e busca e apreensão.



Segundo a PC-AM, Cleverson agia junto de “Meiruca” e a esposa do detento, Suely Gomes Rodrigues, em uma associação criminosa que utilizava fotos e o nome do delegado Rafael Costa e Silva em um perfil falso da rede social Facebook, para aplicar golpes de estelionato. Em certas ocasiões, os criminosos mudavam o nome da autoridade policial, mas mantinham a foto de Costa.

Modo de ação criminoso

Na mesma rede social, Antônio se passava por funcionário do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM) e dizia vender carros de leilão, com “preços mais atrativos e ótimas condições de pagamento”, ainda conforme a PC. Além disso, o suspeito também negociava a entrega de motos apreendidas.

Suely e Cleverson eram responsáveis por sacar o dinheiro das vítimas nas contas bancárias ou de arrumar outras pessoas para emprestar as contas e repassar as quantias de dinheiro.

O delegado Rafael Costa e Silva afirmou que se surpreendeu com a quantidade de fotos de delegados do Amazonas na galeria de fotos do celular do preso. “Inclusive há uma tentativa de negociação no Whatsapp, usando a foto do doutor Alberto Teixeira, Delegado Geral do Estado do Pará”, disse a autoridade policial.

Por meio das investigações, a PC-AM constatou que “Meiurca” montou o perfil falso. O suspeito foi condenado a 14 anos por estupro de vulnerável e encontra-se preso no Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (IAPEN/AP) desde 2017.

Suely foi presa em flagrante por estelionato e associação criminosa, após realizar saques oriundos dos golpes aplicados com o perfil falso da rede social. Antônio, que permanece preso no Amapá, será indiciado pelo crime de estelionato, associação criminosa e falsidade ideológica, visto que o suspeito realizou o cadastro de vários chips de Cadastro de Pessoa Física (CPF) de vítimas no próprio celular.

Diligências

Para o investigador Alessandro Cardoso, a operação foi complexa devida ao fato de os suspeitos estarem localizados em áreas distantes uma das outras. “A estrada é toda de terra e devido à sua condição, demoramos 6 horas para percorrer 260 quilômetros, fazendo o mesmo percurso no dia seguinte”, disse Cardoso.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.