Publicidade
Manaus Hoje
CAUSA DESCONHECIDA

Exército investiga morte de cabo achado em rio no Careiro da Várzea, no Amazonas

Caso ocorreu na noite de domingo (21). Militar Erlan Cosmo da Silva estaria em serviço e teve o corpo encontrado em rio no dia seguinte. Segundo o CMA, sindicância foi aberta para apurar o caso 25/08/2016 às 12:04
Show erlan
Cabo teve o corpo achado próximo a embarcação onde realizava serviço (Foto: Divulgação)
Oswaldo Neto Manaus (AM)

O Comando Militar da Amazônia abriu sindicância para investigar a morte do cabo do Exército Erlan Cosmo da Silva, 24, ocorrida durante uma missão no município de Careiro da Várzea (a 25 quilômetros de Manaus). Segundo o CMA, o caso teria acontecido na noite do último domingo (21), no entanto, as causas do falecimento ainda não foram esclarecidas.

O caso ocorreu na noite de domingo, entre as 22h e 23h. Erlan Cosmo da Silva, militar do Exército há cinco anos, estava lotado no Centro de Embarcações do Comando Militar da Amazônia (Cecma) e teria ido executar uma missão de manutenção de embarcação no Careiro da Várzea, na área do lago do Puraquequara. Lá, o cabo veio a falecer e teve o corpo encontrado no rio.

De acordo com uma prima da vítima, Elane Cosmo, a notícia chegou até ela por meio das redes sociais. “Estava em casa por volta das 14h30 quando fiquei sabendo. Entrei no meu Facebook e vi várias postagens como se ele estivesse morto. Em seguida, um tenente me ligou pedindo pra eu separar roupas dele. Fiquei desesperada e comecei a ligar para alguns familiares”, contou.

Ainda segundo Elane, militares do Exército deram a notícia do falecimento de Erlan na tarde de segunda-feira (23), porém os motivos da morte dele ainda são desconhecidos. Em um áudio captado por ela e encaminhado à reportagem do Portal A Crítica, um militar, identificado como tenente Lermen, descreve à família duas situações que possam ter ocorrido antes do corpo do cabo ser achado no rio.

A primeira delas é que Erlan possa ter escorregado, batido a cabeça e morrido afogado ao cair na água. Já a segunda, o militar sugere no áudio que o cabo tenha morrido de mal súbito, visto que médicos da base não teriam constatado sinal de traumatismo após o corpo ter sido encontrado por mergulhadores, o que provaria que ele não bateu a cabeça ao cair no rio.

“Nada vai trazer ele de volta, mas queremos saber o que aconteceu de fato. Isso não aconteceu por acaso. Não tem explicação. Como um menino saudável vai pra uma missão e eles devolvem pra gente morto, sendo que ninguém viu? Nenhum militar trabalha sozinho. Queremos saber a verdade, e se existir um culpado, que ele seja punido”.

O delegado titular da 35ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), David Jordão, informou por meio da assessoria de imprensa da Polícia Civil que não houve nenhum registro deste caso na delegacia até o momento.

CMA apura o fato

De acordo com chefe da comunicação social do CMA, coronel Luiz Gustavo Evelyn, o comando abriu inquérito para apurar as causas da morte do cabo Erlan Cosmo, no entanto, o resultado só deve sair em 30 dias por meio de um laudo.

“Esse laudo pode ser prorrogado por mais 30 dias caso o sindicante precise de mais tempo. De qualquer forma, o caso já está sendo investigado pela parte do Exército", declarou.

Publicidade
Publicidade