Publicidade
Manaus Hoje
Perigoso

Falso mototaxista é preso ao tentar estuprar adolescente no município de Coari

Em vez de corrida, polícia diz que Valdeney Lopes David Junior, de 29 anos, usava a moto para atacar adolescentes 27/04/2016 às 08:50
Show estuprador
Valdeney Lopes já responde por outro caso de estupro de meninas indefesas / Foto: Divulgação
Acritica.com Manaus (AM)

O mototaxista Valdeney Lopes David Junior, de 29 anos, foi preso na noite da última segunda-feira (24), em Coari, por tentativa de estupro e sequestro contra uma adolescente de 17 anos. A mesma, na ocasião, estava com a filha de apenas três meses de idade no colo.

De acordo com o delegado titular da Delegacia Interativa de Polícia (DIP), Mauro Duarte, a adolescente queria ir até o mercado quando fez parada para o suspeito. Ele então aceitou a corrida e desviou o caminho desejado da vítima e passou a ameaçá-la alegando que se ela não calasse a boca, faria algo pior com a adolescente.

Ao passar em frente à delegacia, Valdeney começou a pilotar a moto com apenas uma das mãos, enquanto a outra mão era utilizada para tocar nas partes íntimas da vítima, o que a fez entrar em estado de choro, pois estava com a filha pequena no colo e não podia fazer nada para se defender.

O delegado ressaltou que em um dos percursos do suspeito, eles passaram por dois mototaxistas, e foi no momento que a jovem fez um sinal de pedido de socorro.

O mototaxistas perseguiram os dois e buzinavam bastante, como sinal para o suspeito parar a motocicleta.

Fugindo, ele teve que parar a moto e mandou a vítima descer, ameaçando-a de morte caso ela contasse para alguém.

Já na tarde de terça-feira (27), por volta de 17h, Policiais Militares acompanharam a vítima com intuito de prender o suspeito, já que ela disse que o conhecia de vista.

Ele foi localizado e preso próximo à ponte do bairro do Pêra. Mauro informou à equipe de reportagem que ao ser levado para a delegacia, o suspeito foi interrogado e em todo o momento negava o fato.

Ele declarou em depoimento para o delegado, que apenas conduziu a vítima até o local onde ela queria ir e que discutiu com a mesma, alegando que ela não queria pagar os R$ 3 da corrida, apenas R$ 2, o que não convenceu a Polícia Civil.

O criminoso é reincidente nesse tipo de crime, pois conforme informou o delegado, o mototaxista responde a outro processado por estupro contra uma adolescente de 13 anos, fato ocorrido em janeiro de 2015, em uma construção abandonada, localizada na Rua G, bairro Pêra 2.

Publicidade
Publicidade